Futebol/Campeonato Goiano - ( )

Favoritos, Goiás e Atlético-GO estão prontos para a caça

Tarcísio De Lucca, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Favorito ao título do Campeonato Goiano desta temporada, o Goiás, maior campeão do Estadual, deve fazer de tudo para conquistar o bicampeonato. Estas são as palavras do próprio presidente João Bosco Luz, que, mesmo com a disputa da Série A do Campeonato Brasileiro pela frente, vê no Goianão uma boa fonte de ânimo para o time para o restante do ano de 2013.

“Quando você está atrás, você vira o caçador. Do outro lado, se você está na frente, você vira a presa. Nós seremos os caçados porque somos os atuais campeões e queremos o título mais uma vez. Precisamos respeitar os adversários e encarar cada jogo como se fosse o último. Ao contrário de muitos, eu valorizo o Campeonato Goiano”, afirma o mandatário esmeraldino.

Luz evitou falar sobre os seus adversários, mas admitiu as dificuldades que podem ser encontradas nos jogos contra Atlético Goianiense e Vila Nova e exaltou o fortalecimento do interior do estado. “Tradicionalmente, o nosso maior adversário é o Vila Nova. O Atlético-GO também é outro grande adversário. E o interior vem forte, com Rio Verde, Itumbiara e os times de Anápolis”, analisou.

Já do outro lado, o time do Atlético Goianiense está “pronto” para traçar uma hegemonia neste início de década. “Dentro da sua projeção, o Atlético-GO conseguiu se reforçar bem para a competição; Saíram 20 jogadores, mas tivemos tranquilidade; Conversei com a comissão técnica e a prioridade é a parte física nesta reta inicial”, analisou o diretor de futebol Adson Batista.

Goiás e Atlético-GO estreiam no Estadual neste domingo, às 17 horas (de Brasília): enquanto o Esmeraldino recebe o sempre perigoso Itumbiara, o Dragão visita o modesto Goianésia. No mesmo horário, jogam Anápolis e Aparecidense e Crac e Grêmio Anápolis.

Divulgação
Após queda no Brasileiro, Atlético-GO quer volta aos grandes momentos no Estadual.

Vila Nova busca milagre - Segundo clube com o maior número de títulos do Campeonato Goiano, o Vila Nova, que não conquista o estado desde 2005, está à espera de um milagre nesta temporada, como definiram a imprensa goiana e até mesmo o presidente do clube, Marcos Martinez. O baixo orçamento e as crises políticas nos últimos anos ajudaram na decadência de um dos clubes mais tradicionais do Brasil.

“O nosso orçamento é muito pequeno e nós estamos tentando fazer um milagre com ele, montando um time sem estrelas, mas competitivo”, explica Martinez em contato telefônico com a reportagem da GazetaEsportiva.Net.. Com pouco orçamento, tentamos criar algo, mas os favoritos são eles (Goiás, Atlético Goianiense e Rio Verde)”, analisa.

No entanto, o mandatário colorado aposta em três fatores que podem trazer o 16º título estadual para o OBA: a camisa, a torcida e o técnico. “Os salários dos jogadores não são altos, mas eles são eficientes. A torcida também carrega o time. E a grande estrela é o (treinador) Darío Pereyra, que dispensa comentários. Com isso, acho que dá para alcançar as semifinais”, projeta.

Com o meia Magnum, contratado junto ao Paysandu, como a principal ‘aposta’ para este primeiro semestre, Martinez sabe que a estreia contra o Rio Verde, apontado por ele mesmo como um dos três favoritos ao título, não será fácil. O jogo está marcado para este sábado, às 17 horas (de Brasília), em Rio Verde (GO). “Será uma pedreira. Eles montaram um time muito bom”, admite.

Informações: fundado em 1943, o Vila Nova chegou a conquistar a Série C do Campeonato Brasileiro em 1996, mas as crises políticas dos últimos anos atrapalharam o seu ritmo. Martinez explica a queda em 2011: “O futebol do Vila Nova foi terceirizado. A diretoria acreditou nas promessas dos patrocinadores e montou um time forte, mas caro, e não conseguiu mantê-lo”, lamenta.

Divulgação
Baixo orçamento e crise política atrapalham o planejamento do Vila Nova em 2013

Rio Verde ressurge - Após 17 anos, o Esporte Clube Rio Verde pode dar alegria para os quase 200 mil habitantes da cidade de Rio Verde (GO). Isto porque o clube, que fez história ao alcançar as semifinais do Campeonato Goiano de 1995, é um dos três favoritos ao título do Estadual desta temporada, juntamente com Goiás e Atlético Goianiense. Abaixo, entenda a empolgação do Verdão do Sudoeste.

“Hoje, a cidade de Rio Verde só fala sobre futebol e o clube. E só para ter uma ideia, os nossos treinamentos chegam a ter a presença de mais de mil pessoas”, comemora o presidente do clube goiano, Régis Abreu Cruvinel, em contato telefônico com a reportagem da Gazeta Esportiva.Net.. “Este é o ano em que nós recebemos o maior apoio da prefeitura”, acrescenta o mandatário.

E, definitivamente, Cruvinel tem motivos de sobra para celebrar. De acordo com as informações da imprensa goiana, o Rio Verde teve um orçamento de, aproximadamente, R$ 1 milhão, valor muito superior ao dos outros clubes do interior do estado. Com esta cifra, a diretoria pôde trazer nomes como o do volante Alan Bahia, do atacante Val Baiano e do técnico Mauro Fernandes.

“O nosso planejamento se baseou em jogadores com mais experiência, sendo que tudo passou pelo Mauro Fernandes. Ele indicou todo mundo”, explica Cruvinel. “A nossa expectativa é a de chegar entre os quatro primeiros colocados da primeira fase para, depois, poder disputar alguma coisa”, projeta, antes de exaltar a pré-temporada: “Estamos trabalhando desde dezembro”.

No entanto, mesmo com o favoritismo dado por todos em Goiás, o Rio Verde precisa ter os seus pés no chão. Pelo menos é o que recomenda a humildade de Cruvinel. “Nós nunca seremos os favoritos, até porque os três clubes da capital sempre têm estrutura. E não temos muita experiência. Dos nossos 50 anos, ficamos 25 fora de atividade. A história não é tão boa”, comenta.

Já sobre o time rio-verdense, o técnico Mauro Fernandes demonstra otimismo. “A diretoria fez uma equipe para brigar pelo título estadual: são grandes jogadores que já passaram por grandes clubes do futebol brasileiro. E a estrutura também é muito boa. Aqui eu tenho o que 40% dos clubes por onde já passei não têm”, afirma o treinador, ex-América-MG, Criciúma, Bahia etc..

Divulgação
Rio Verde promete tentar surpreender as principais forças na disputa do Goiano.
Colocando o Goiás com a responsabilidade de ser campeão, Fernandes não se incomoda com a estreia dos seus comandados no Goianão. Neste sábado, às 17 horas (de Brasília), o Rio Verde debuta na competição diante do Vila Nova, o segundo maior campeão do estado, no Estádio Mozart Veloso do Carmo, em Rio Verde, possivelmente com boa presença de público.

“Esta vai ser uma disputa acirrada. E nós não vamos dever nada para ninguém”, garante o comandante, que tem opinião parecida com a do presidente do Rio Verde. “O Vila Nova logo na estréia vai ser um bom teste porque já vai dar pra sentir como está o time. E vale lembrar que nós temos que enfrentar todo mundo”, finaliza Régis Cruvinel.

Informações: fundado em 1963, o Esporte Clube Rio Verde tem em seu currículo cinco títulos da Segunda Divisão do Campeonato Goiano, além de conquistas expressivas no futsal e no handebol. Em 1995, mesmo ano do quarto lugar no Estadual, o clube encerrou as suas atividades, pedindo licenciamento. Em 2009, voltou, na Terceira Divisão.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade