Futebol/Campeonato Paranaense - ( - Atualizado )

Com pênalti perdido, Coxa empata na estreia do Campeonato Paranaense

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes Curitiba (PR)

O Coritiba não iniciou do jeito que queria sua caminhada rumo ao tetra do Campeonato Paranaense. Mesmo jogando fora de casa e com um time misto, o clima era de decepção após o empate em 0 a 0 diante do Operário, no Estádio Germano Krüguer, em Ponta Grossa.

A partida foi tecnicamente ruim, mostrando que os times ainda precisam de ritmo de jogo nesse início de temporada. A principal jogada da partida aconteceu nos acréscimos do primeiro tempo. Ruidíaz cobrou penalidade e parou nas mãos do goleiro Sílvio.

Na próxima rodada, o Operário terá pela frente o Arapongas, quarta-feira, no Estádio dos Pássaros. Já o Coritiba encara no mesmo dia o Paranavaí, em sua estreia no Estádio Couto Pereira.

Divulgação/Coritiba F.C.
Coritiba não conseguiu sair do zero contra o Operário
O jogo – A partida começou morna, o Fantasma muito recuado, apenas rebatendo as primeiras investidas alviverdes. Aos quatro minutos, depois de cobrança de falta, a bola sobrou para Ruidíaz arrematar em cima da defesa. O Coxa mostrava muita ansiedade e errava alguns passes. Aos 10 minutos, Grilo chutou e Vanderlei fez a defesa, cedendo escanteio.

O Operário começou a sair para o jogo e, aos 12 minutos, Thiago Augusto partiu em velocidade, mas Vanderlei se antecipou e ficou com a bola. Aos 18 minutos, Thiago Augusto invadiu a área e foi travado, ficando no chão pedindo pênalti, não marcado. Rone Dias chegou à lateral da área e levantou para boa saída do camisa 1 coxa-branca, aos 26 minutos.

Coritiba no ataque, aos 31 minutos, com Ruidíaz, que foi travado na hora do chute e ganhou escanteio. Rafhael Lucas recebeu uma entrada mais forte de Neguetti e saiu de campo lesionado e chorando para a entrada de Rafael Silva. Aos 38 minutos, Eltinho cobrou falta e Silvio defendeu sem dificuldade. Nos acréscimos, Fabinho derrubou Djair e o árbitro marcou pênalti. Na cobrança, Ruidíaz parou em Sílvio.

Depois do intervalo, nenhuma mudança nas equipes. O Coritiba voltou com mais disposição e pressionava, ainda que sentisse falta de entrosamento. Aos cinco minutos, Robinho levantou na área e Chico desviou de cabeça, pela linha de fundo. Na resposta, Thiago Augusto arriscou de fora da área, sem perigo algum. Aos nove minutos, Rafael Silva desviou de cabeça e Silvio fez um milagre.

Depois da velocidade dos primeiros minutos, o ritmo do Alviverde caiu. Aos 16 minutos, boa jogada de Primão para Djair, que arrematou pela linha de fundo. Sem ter com quem jogar, Valdir partiu para jogada individual, aos 24 minutos, mas Chico apareceu para desarmar. No lance seguinte, Júnior Urso chutou de longe, totalmente sem direção.

O Fantasma parava as jogadas do jeito que dava e os jogadores colecionavam cartões amarelos. Aos 39 minutos, Robinho cobrou falta fechada e Silvio defendeu em dois tempos. O cansaço era evidente no semblante dos atletas, que não mostravam força para fazer nada muito melhor. Aos 43 minutos, Thiago Augusto ainda tentou um chute de longe, mas a bola foi pela linha de fundo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade