Futebol/Campeonato Inglês - ( - Atualizado )

Apesar de jejum, Wenger mantém política de contratação no Arsenal

Londres (Inglaterra)

Após contar com jogadores como Thierry Henry, Patrick Vieira, Dennis Bergkamp, Robert Pires e Ashley Cole, o Arsenal deixou de negociar com atletas consagrados mundialmente e contratou jovens promessas do cenário esportivo. A política financeira colocou fim a sequência de títulos da equipe inglesa e gerou dúvidas em relação ao trabalho do técnico Arsene Wenger. No entanto, o treinador francês pretende manter o planejamento traçado.

“É extremamente complicado trabalhar desta forma. Os torcedores esperam coisas muito grandes, querem que eu contrate Messi ao invés de um jovem promissor. Pensam sempre no nome. Quando trazemos um atleta sem nome feito no futebol, a torcida fica cética”, afirmou o comandante.

Treinador do Arsenal desde 1996, Wenger viveu seu auge no clube de Londres entre 2001 e 2004, quando conquistou o bicampeonato inglês, duas edições da Copa da Inglaterra e da Supercopa da Inglaterra. No entanto, o time caiu de rendimento com a saída de jogadores importantes e acumula jejum de quase oito anos sem títulos.

Para reverter a má situação, o técnico da equipe londrina concentrou seu foco em campeonatos menos badalados do continente europeu. Com isto, o clube passou a trazer atletas pouco conhecidos, principalmente do campeonato francês.

“Fomos muito competitivos no mercado francês, mas agora estão produzindo menos jogadores de primeiro nível. Agora, há países emergentes como Alemanha e Espanha, onde há muitos bons jovens atletas”, encerrou.

AFP
Após sucesso do Arsenal no início dos anos 2000, Arsene Wenger vive jejum de títulos na equipe inglesa

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade