Futebol/Campeonato Inglês - ( - Atualizado )

City vence Arsenal em jogo movimentado dentro e fora de campo

Londres (Inglaterra)

Uma ameaça de bomba antes do início da partida, um pênalti perdido, dois jogadores expulsos e a quebra de um tabu de quase 38 anos, assim é possível resumir o confronto entre Arsenal e Manchester City, no Emirates Stadium, neste domingo, pela 22ª rodada do Campeonato Inglês. No fim, vitória do City, por 2 a 0, que ainda tenta encostar no líder e rival Manchester United.

Poucas horas antes do início da partida entre Arsenal e Manchester City, os torcedores que se aproximavam do Emirates Stadium se assustaram com um ameaça de bomba. De acordo com a Polícia Metropolitana, o transtorno foi causado por um veículo suspeito, que estava em um estacionamento nos arredores do estádio. Após a inspeção do pacote que estava dentro do carro, o local foi liberado, sem atrasar o início do confronto.

Dentro de campo, depois da vitória do Manchester United sobre o Liverpool, apenas os três pontos interessavam ao City para não deixar o líder e rival se distanciar ainda mais na liderança. Desta forma, mesmo fora de casa, os Citizens começaram o jogo pressionando o Arsenal, e não demoraram muito para ter a primeira chance clara do jogo.

Logo aos nove minutos de jogo, Kosceny segurou Dzeko dentro da área, o árbitro marcou o pênalti e expulsou o zagueiro do Arsenal. Na cobrança, o atacante bósnio, que sofreu a infração, chutou no meio do gol, o goleiro dos Gunners defendeu com as pernas, a bola ainda bateu na trave, passou em cima da linha e Szczeny se esticou para agarrá-la.

AFP
Com uma expulsão para cada lado, confronto foi marcado pelas jogadas violentas.

Com um jogador a menos, o Arsenal não conseguiu suportar a pressão dos visitantes. Aos 20 minutos, após cobrança rápida de falta, o argentino Tevez encontrou Milner na entrada da área. O meia bateu firme de direita e balançou a rede no Emirates Stadium.

Melhor na partida, o Manchester City continuou se lançando ao ataque e não demorou muito para ampliar o marcador. Aos 31, Milner avançou pela ponta direita, cruzou rasteiro, Tevez desviou para o gol, o goleiro Kosceny conseguiu defender, mas soltou o rebote no pé do atacante Dzeko. O bósnio só teve o trabalho de escorar para o gol e sair para comemorar.

Na segunda etapa, o Arsenal começou melhor, mas a superioridade técnica e numérica do City impedia qualquer reação do time londrino. Atrapalhados pelo nervosismo, os Gunners não conseguiam criar boas jogadas e se preocupavam em reclamar das marcações do árbitro Mike Dean, em um jogo marcado por jogadas violentas.

Aos 30 minutos, as reclamações dos jogadores do Arsenal deram resultado. Depois de um carrinho frontal no meia Wilshere, o zagueiro Kompany também foi expulso, para o desespero do treinador do City, Roberto Mancini, que não concordou com a marcação do árbitro. Mesmo depois da expulsão, o jogo não mudou de panorama. Com a vitória garantida, o Manchester City apenas administrou o resultado, enquanto que o Arsenal tentava criar, mas pecava pelo nervosismo.

Com a vitória, os Citizens permanecem a sete pontos do líder United. A vitória também representou uma marca história: o City não derrotava o Arsenal, fora de casa, na Premier Leaguem, havia quase 38 anos. Os Gunners, por sua vez, ficam a cinco pontos do rival Tottenham, se distanciando da briga por uma vaga na Champions League.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade