Futebol/Sul-americano sub-20 - ( - Atualizado )

Uruguai e Equador empatam e deixam Brasil na lanterna do Grupo B

San Juan (Porto Rico)

Com um gol no fim da partida, o Uruguai empatou com o Equador por 2 a 2, nesta segunda-feira, e se manteve invicto no Sul-americano sub-20. O resultado, além de deixar a equipe muito perto da classificação para o hexagonal final, empurra o Brasil para a lanterna do Grupo B.

Com o melhor ataque da competição, os uruguaios saíram na frente com Nicolás López, que marcou aos 19 minutos da primeira etapa. Em jogada pelo lado esquerdo, o atacante recebeu na área e bateu bem, tirando de Cuero.

Ainda antes do intervalo, a equipe equatoriana conseguiu igualar o placar com um gol do atacante Ely Castro, de fora da área, já nos acréscimos. No início da segunda etapa, pressionou do Equador se converteu no 2 a 1, como meia Gutiérrez Bastidas.

A derrota uruguaia persistiu até os 40 minutos, mesmo som forte pressão da celeste, que chegou a acertar a trave. Em um cruzamento para a área, Rodrigo Aguirre subiu mais alto e testou para superar o goleiro Cuero.

Com o empate, o Uruguai vai a cinco pontos e lidera o Grupo B. A equipe folga na próxima rodada e volta a jogar contra a Venezuela na sexta. O Equador, que só tem mais um compromisso e apenas dois pontos conquistados, encara o Peru nesta quarta.

AFP
Nicolás López (E) abriu o placar em San Juan, mas o Uruguai não conseguiu segurar o resultado contra o Equador

Mais cedo, no primeiro jogo do grupo, o Peru passou pela Venezuela por 1 a 0 e assumiu a vice-liderança, com quatro pontos conquistados. As equipes fizeram uma partida sem grandes emoções e decidida ainda na etapa inicial, em cobrança de pênalti.

Cristian Benavente, jogador do Real Madrid Castilla, filial do poderoso Real Madrid, foi o autor do único gol. Após invadir a área, o meia foi derrubado por Wilker Ángel e converteu a penalidade com muita frieza.

Os resultados da noite colocam a Seleção Brasileira – folgou na rodada, e segura a lanterna com apenas um ponto em dois jogos – sob pressão. A equipe do treinador Emerson Ávila tem, agora, duas partidas decisivas justamente contra Venezuela, na quarta, e Peru, na sexta. Um tropeço diante dos venezuelanos pode eliminar o Brasil antecipadamente. Na quarta, os peruanos encaram o Equador.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade