Ciclismo/Bastidores - ( - Atualizado )

Armstrong tentou doar R$508 mil a Agência Antidoping, diz presidente

Nova Iorque (Estados Unidos)

Pego em um dos maiores escândalos de doping da história do esporte, o ciclista Lance Armstrong tentou agradar a Agência Antidoping dos Estados Unidos (Usada) há pouco mais de oito anos. Segundo o presidente Travis Tygart, o ex-heptacampeão da Volta da França ofereceu 191 mil de euros (Aproximadamente R$ 508 mil) como doação à entidade, em 2004. A quantia foi negada pela entidade.

“Fiquei incrédulo. Era claro que seria um conflito de interesses para a Usada. Não hesitamos em rejeitar a oferta”, revela Tygart, em entrevista à emissora de televisão norte-americana CBS. Segundo o dirigente, a oferta teria sido feita por um agente do atleta.

Advogado de Armstrong, Tim Herman negou as acusações. “Essa história não é verdade. A primeira vez que Lance ouviu sobre isso foi hoje. Ele nunca fez nenhum contribuição ou sugestão (à Usada)”, garante, em entrevista ao jornal USA Today.

AFP
Presidente da Usada, Travis Tygart revelou tentativa de doação suspeita de Lance Armstrong à entidade, em 2004
Recentemente, a União Ciclística Internacional (UCI) confessou que aceitou doação de US$ 100 mil (aproximadamente R$ 200 mil) de Armstrong em 2001. Segundo os ciclistas Floyd Landis e Tyler Hamilton, ex-companheiros de equipe de Armstrong, a entidade teria acobertado suposto teste positivo de doping do atleta, no mesmo ano. A UCI, no entanto, nega que o dinheiro tenha relação com o teste.

Após ser pego em agosto no “maior e mais sofisticado esquema de doping da história do esporte”, segundo a Usada, Lance Armstrong foi banido do esporte pela UCI dois meses depois. Além disso, o norte-americano teve cassados todos os seus sete títulos da tradicional Volta da França, além de correr o risco de perder sua medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Sydney-2000.

Sem apelar contra a punição nos dois meses limites, Armstrong recentemente cogitou detalhar o esquema de doping e as pessoas nele envolvidas a fim de diminuir a sua pena para apenas quatro a oito anos. Com isso, voltaria a competições oficiais, desta vez no triatlo.

No próximo dia 17, uma entrevista com o ciclista será transmitida em um especial de 1h30 do programa Oprah’s Next Chapter, integrante da grade do OWN, canal que pertence à famosa apresentadora Oprah Winfrey, primeira pessoa a falar com Armstrong desde a divulgação do escândalo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade