Futebol/Copa São Paulo de Futebol Júnior - ( - Atualizado )

Goleiro do Remo falha e se redime, mas não evita vitória do Santos

Jaguariúna (SP)

A maior Copa São Paulo de Futebol Júnior da história – são 100 clubes divididos em 25 grupos na 44ª edição do mais tradicional torneio de base do futebol brasileiro – teve início na tarde desta sexta-feira, com a preliminar vencida pelo São Mateus-ES, por 1 a 0, sobre o Corinthians Alagoano. No jogo posterior, disputado no estádio municipal Alfredo Chiavegato, em Jaguariúna, foi a vez do Santos entrar em campo e vencer o tradicional Clube do Remo por 3 a 0, com direito a dois pênaltis desperdiçados pelo Peixe e falha incrível do goleiro paraense.

Sem um título da Copinha desde 1984, os Meninos da Vila iniciaram a edição de 2013 em alta e ocupam a liderança do Grupo V com um gol a mais de saldo que os capixabas. Os líderes e os sete melhores segundo colocados garantem vaga na segunda fase. Na próxima segunda-feira, o Peixe encara justamente o São Mateus, enquanto o Remo briga pelo último suspiro contra o Corinthians Alagoano.

A vitória do Santos sobre o Remo teve um personagem principal em Jaguariúna, que foi o goleiro Elielton, autor de defesas impressionantes que evitaram a abertura de uma goleada, mas de uma falha que acabou determinando o resultado negativo para os paraenses. Do céu ao inferno, o camisa 1 do Remo errou o tempo da bola e sofreu o primeiro gol aos sete minutos do primeiro tempo, vindo a se recuperar aos 15, ao defender cobrança de pênalti.

Pressionando o modesto adversário desde os primeiros minutos de bola rolando, o Santos teve boa oportunidade na bola parada. Após cobrança aberta do capitão Pedro Castro, direto do lado esquerdo do ataque santista, Jubal cabeceou no meio do caminho e o goleiro subiu para defender. Atrasado, Elielton subiu, mas acabou protegendo só a trave e se esquecendo da bola, que balançou suas redes e colocou o Peixe em vantagem.

Aos 15, o atacante Givanildo, principal jogador de referência da equipe do técnico Claudinei Oliveira, que inclusive vestiu a camisa do Remo como goleiro, sofreu um carrinho e foi derrubado na grande área. O zagueiro Gustavo Henrique acabou desperdiçando a oportunidade de aumentar o placar e praticamente selar a vitória sobre o Remo.

O segundo tempo foi mais equilibrado, mas resolvido pelo Santos na base do esforço. Com o adversário visivelmente estafado, o meio-campista Léo Cittadini, camisa 10 do Peixe, aproveitou uma jogada criada por Stéfano Yuri para balançar as redes de Elielton aos 34 minutos do segundo tempo. Os paraenses bem que forçaram, mas não alcançaram o gol de Gabriel Gasparotto. Aos 41, Alisson sofreu pênalti do goleiro Elielton, que provou sua condição de protagonista da partida, mas Givanildo errou o alvo.

O terceiro e decisivo gol do Peixe foi marcado aos 45 da etapa complementar, quando Stéfano Yuri chamou a responsabilidade e deixou sua marca após a assistência do lance anterior.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade