Futebol/Copa São Paulo - ( - Atualizado )

Goleiro pega quatro pênaltis e põe Goiás na final da Copinha

São Paulo (SP)

Goiás e Bahia vinham de grandes campanhas na Copa São Paulo e não decepcionaram na partida da tarde desta terça-feira com um jogo emocionante, cheio de alternativas e emoção. O grande destaque da partida foi o goleiro Paulo Henrique, do Goiás, que defendeu quatro pênaltis e ajudou seu time a se classificar para a grande final. Foram dois no tempo normal, que terminou empatado em 1 a 1 e dois na decisão por pênaltis, que terminou em 3 a 0 para o Goiás.

Agora, os esmeraldinos esperam o vencedor do duelo entre Santos e Palmeiras, que será realizado ainda nesta terça, às 21 horas, na Arena Barueri.

O Jogo - Com a melhor campanha entre os times que alcançaram as semifinais, com apenas um empate e um gol tomado até então, o Bahia entrou em campo com certo favoritismo e confirmou esta situação logo nos primeiros minutos, pressionando e trocando passes no campo de ataque do Goiás.

Aos 12 minutos, depois de cobrança de falta, a bola não foi afastada da área e o centroavante tricolor Matheus bateu rasteiro e acertou a trave. Ele ainda teve uma segunda chance e não desperdiçou, abrindo o placar para os baianos.

A partir de então, o Goiás aparentou ficar sem saber o que fazer por alguns minutos, mas logo se reencontrou em campo e ameaçou o gol de Renan aos 21 e aos 23 da primeira etapa, chegando a balançar as redes aos 30 minutos, com Eric. No entanto, o bandeira anulou o lance, assinalando impedimento.

A pressão esmeraldina funcionou e antes do final da etapa inicial, os goianos chegaram ao gol. Após cruzamento baixo na área, Maracás, furou feio e Eric ficou sozinho para marcar o gol de empate.

No segundo tempo, quando o Alviverde era melhor, Yago acabou expulso, após receber o segundo cartão amarelo e mudou o panorama da partida. O Bahia era novamente só ataque e o Goiás voltava a ser sufocado.

Aos 18 minutos, Ryder caiu na área e a árbitra marcou pênalti. Railan bateu no canto direito e Paulo Henrique caiu e fez a defesa. Contudo, marcando invasão, a arbitragem mandou repetir a cobrança. Railan mudou o canto e Paulo Henrique também, fazendo nova defesa.

O jogo continuou emocionante até o fim, com boas chances criadas pelas duas equipes. A diferença numérica não pesou para os esmeraldinos, que ainda acertaram a trave antes do fim da partida e o Bahia, um tanto desconcertado com os pênaltis perdidos se recuperou a tempo de desperdiçar gols no final do jogo, que acabou indo para a decisão por pênaltis.

Nas penalidades, brilhou o goleiro Paulo Henrique, que defendeu mais duas cobranças e ainda contou com um erro de Zé Roberto para ajudar seus companheiros, que não erraram nenhuma cobrança, a chegar na grande final pela primeira vez na história.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade