Futebol - ( - Atualizado )

Renato Augusto avisa a Tite que aprendeu a marcar

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Renato Augusto citou arrancadas ao descrever seu futebol, mas não se esqueceu de algo que pode ser decisivo na briga por uma posição no Corinthians. O reforço alvinegro falou o que Tite gostaria de ouvir ao mencionar sua capacidade de marcação.

“Saí daqui com uma característica, mas aprendi muita coisa na Alemanha. Aprendi a parte tática, aprendi a jogar defensivamente. Posso me completar um pouco mais, mas aprendi bastante”, disse o meia de 24 anos, que trocou o Flamengo pelo Bayer Leverkusen em 2008.

Renato apontou ainda outra de suas capacidades que lhe renderão pontos com o chefe. No 4-2-3-1 do qual dificilmente abre mão o gaúcho, ele pode atuar em qualquer uma das posições de armação. “Faço as três funções. Sou um meia de ligação, podendo atuar aberto por um dos lados ou centralizado.”

“Perto da forma ideal”, segundo sua própria avaliação, o carioca começou a trabalhar mais cedo do que Douglas e Danilo, cuja pré-temporada só terá início na próxima segunda-feira. Ele terá as primeiras rodadas do Campeonato Paulista para mostrar serviço e sair na frente.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
De acordo com Renato Augusto, foi fácil escolher o Corinthians, "um passo à frente" em sua carreira
Como titular ou não, Renato Augusto quer “só ajudar”. Depois de acompanhar de longe um ano vitorioso para o Timão, ele espera fazer parte de uma temporada ainda melhor, cheia resultados como o registrado em Mogi Mirim, no estádio então chamado de Wilson de Barros, em 12 de junho de 2005.

“Os portões estavam fechados, e o Corinthians venceu por 4 a 2. Foi meu primeiro jogo como profissional do Flamengo”, lembrou o meia, que substituiu Leonardo Moura, mas não pôde evitar um triunfo alvinegro comandado pelos garotos Jô e Abuda.

O clube rubro-negro chegou a demonstrar interesse em sua volta, mas o jogador disse não ter tido dificuldade para escolher o Timão, que está financeiramente muito melhor e lhe fez uma proposta concreta. Ele apontou a equipe do Parque São Jorge em situação semelhante à de clubes da Europa.

“Dei um passo à frente na minha carreira vindo para cá. Se você pega o último ano do Corinthians, fica mais fácil (decidir). É o atual campeão da Libertadores e do mundo, manteve a base, buscou contratar jogadores. Eu nunca vi pôster de vice-campeão. Vim também para botar meu nome na história do clube, ter um pôster também”, avisou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade