Motor/Fórmula 1 - ( )

Confiante, Massa fala em título para 2013: “Sei que posso ganhar”

Madonna di Campiglio (Itália)

Ao menos no discurso, não falta confiança para o brasileiro Felipe Massa em 2013. O piloto da Ferrari afirmou que vem motivado após a recuperação no final da última temporada e pensa em briga pelo título para o próximo Mundial de Fórmula 1

Massa quer começar o ano de forma diferente da última temporada, em que somou decepções. Para ele, o que valeu foi a recuperação na parte final, que inclusive motivou sua renovação com a escuderia vermelha por mais um ano.

"O que fizemos na segunda parte do campeonato foi um pouco de treinamento para esta temporada", explicou. Os projetos de Massa para 2013 são otimistas. "Eu quero ser competitivo do início ao fim, quero voltar a ganhar e também espero ser capaz de lutar pelo campeonato. Eu já fiz isso no passado e não esqueci”.

AFP
Felipe Massa acredita que voltará a brigar pelo título na temporada 2013 da Fórmula 1

Segundo o piloto, sua postura alterou em 2012 quando passou a ter confiança em si mesmo. "Não é que o carro mudou muito a partir de agosto. Houve uma mudança do meu lado. É preciso acreditar no que você pode fazer. Eu acredito em mim, sei que posso ser campeão, sei que posso ganhar e sei que posso ser tudo aquilo que sempre fui durante toda a minha carreira”, acrescentou.

No ano de 2008, Felipe Massa brigou até o fim contra o inglês Lewis Hamilton e chegou a ficar muito próximo do título no Grande Prêmio do Brasil, mas a conquista em Interlagos acabou nas mãos do britânico. Apesar da perda, a temporada foi positiva para o brasileiro, que planeja repeti-la, mas com um desfecho diferente.

"Acho que depois, que consegue compreender a si mesmo, você se tornar mais forte e mais forte o tempo todo. Acho que talvez não estava gostando tanto do meu trabalho, talvez não estivesse feliz. Mas estou feliz agora. Ao entrar no carro, eu me divirto, e isso acontece quando você consegue fazer o melhor trabalho possível. Fazendo tudo isso, acho que é possível ter um ano como de 2008”, analisou o brasileiro, por fim.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade