Motor/Fórmula 1 - ( - Atualizado )

Montezemolo rejeita candidatura ao parlamento para seguir na Ferrari

Maranello (Itália)

O prestígio gerado por ser presidente da Ferrari e a participação política nos últimos anos fizeram com que Luca di Montezemolo fosse cotado para concorrer a uma cadeira no parlamento italiano. Mas o dirigente da montadora, que é fundador e militante da associação Italia Futura, negou que possa ser candidato nas próximas eleições e pretende continuar no comando da empresa de Maranello.

O grupo político de Montezemolo apoiará a candidatura à reeleição de Mario Monti ao cargo de primeiro ministro da Itália.

“Não concorrerei. Darei espaço a muitas pessoas que trabalharam pela associação nos últimos anos. É justo que elas sejam os protagonistas deste momento”, disse Montezemolo à publicação La Stampa. “A Italia Futura se tornará algo maior e mais diversificado, mas não serei seu líder”.

O principal motivo para Montezemolo não ampliar sua carreira política é justamente o posto de presidente da Ferrari em que ele espera permanecer. O industrial italiano assumiu o cargo em 1991 e chegou a acumulá-lo com o a posição de dirigente máximo da Fiat entre 2004 e 2010 e da Maserati entre 1997 e 2005.

“A associação continuará sendo minha casa política e de outros milhares de associados e milhões de eleitores. Vou apoiá-la, mas em um posto em que não haja conflito de interesses”, concluiu o dirigente.

AFP
Luca di Montezemolo é presidente da Ferrari desde 1991 e quer permanecer no cargo

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade