Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Com Vargas e Wallyson chegando “já já”, Tricolor rescinde com dois

Gabriel Carneiro, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

A próxima semana será de novidades no São Paulo. Neste domingo, antes mesmo confirmar a grave lesão que deixará o atacante Negueba afastado do futebol por seis meses, João Paulo de Jesus Lopes, vice-presidente do Tricolor, atualizou os quadros de Eduardo Vargas e Wallyson, últimos jogadores pretendidos pelo técnico Ney Franco para fechar o elenco antes do início do Campeonato Paulista e principalmente da primeira fase da Copa Libertadores.

Antes de confirmar as duas contratações, no entanto, o Tricolor se preocupa em 'abrir espaço' no elenco com duas rescisões de contrato que foram oficializadas neste domingo: do volante Paulo Assunção e do meia Cícero. Enquanto o primeiro negocia com o La Coruña, da Espanha, o outro depende apenas da assinatura para se tornar reforço do Santos. Além deles, o atacante Henrique foi vendido para o Botafogo e o lateral esquerdo Juan tem propostas para deixar o clube, mas ainda não aceitou nenhuma.

Montagem sobre fotos
Agora oficialmente, Cícero e Paulo Assunção não são mais do São Paulo - Santos e La Coruña são destinos
De acordo com as expectativas do dirigente, os dois atacantes devem realmente ser oficializados na próxima terça-feira. Caso não ocorra o anúncio das contratações, o Tricolor desistirá em nome de outras prioridades. A situação de Wallyson está praticamente resolvida, já que ele não tem contrato com nenhum clube, mas Vargas foi até relacionado para uma partida do Napoli neste domingo, contra a Roma, pela 19ª rodada do Campeonato Italiano.

“Vamos torcer para que ele não marque cinco ou seis gols pelo Napoli, mas estamos negociando, conversando, falta só concluir”, garantiu Jesus Lopes, em tom de brincadeira, antes de falar também sobre a situação de Wallyson: “Ele também vai estar aqui conosco trabalhando já já. É uma questão de aguardar o empresário Gustavo Arribas, que está na Argentina, e colocar no papel se as negociações derem certo”.

Wallyson tem os direitos econômicos presos ao Deportivo Maldonado, do Uruguai, e jogou as últimas duas temporadas com a camisa do Cruzeiro. O jogador recusou uma investida do próprio clube mineiro porque já está apalavrado com o São Paulo há pelo menos uma semana. No entanto, o acordo ainda está travado no retorno de seu representante da Argentina, onde cuida de outros negócios. Neste sábado, após ser assaltado em sua casa em Natal, o atacante de 24 anos voltou a dizer que deve defender o Tricolor em 2013.

O caso de Eduardo Vargas ainda depende de acertos, ao contrário do de Wallyson. O São Paulo ofereceu 1 milhão de euros (R$ 2,6 milhões) pelo empréstimo de um ano e meio junto ao Napoli. O atacante já manifestou sua vontade de jogar no Brasil, mais perto dos olhares do técnico da seleção chilena, Jorge Sampaoli, mas está encontrando dificuldades na liberação do clube italiano. Relacionado para uma partida neste domingo, o jogador de 23 anos também era pretendido por Grêmio, Flamengo e Espanyol.

Montagem sobre fotos
Vargas é alvo de leilão do Napoli, mas deve acertar com o Tricolor assim como o ex-cruzeirense Wallyson

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade