Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Messi ‘enfrenta’ Iniesta e Ronaldo por quarta Bola de Ouro seguida

Zurique (Suíça)

Lionel Messi poderá se tornar o melhor jogador do mundo, de acordo com a Fifa, pelo quarto ano consecutivo – mais um recorde para a sua carreira. O vencedor da Bola de Ouro de 2012 será anunciado pela entidade em cerimônia em Zurique, nesta segunda-feira. Andrés Iniesta, espanhol que é seu companheiro de Barcelona, e o português Cristiano Ronaldo, do rival Real Madrid, concorrem com o meia-atacante argentino pelo prêmio.

Biógrafo duvida de queda de Messi

Apesar de não ter conquistado títulos tão expressivos quanto nas temporadas anteriores, Messi continuou a reinar em 2012. A seu favor, contam os 91 gols que superaram a marca do alemão Gerd Müller, autor de 85 em 1972. Já Iniesta atravessa grande momento da seleção espanhola, campeã da Eurocopa com ele como melhor jogador, enquanto Cristiano Ronaldo liderou o Real Madrid na conquista do último Campeonato Espanhol.

AFP
Cristiano Ronaldo e Iniesta são os oponentes de Messi na eleição de melhor do mundo promovida pela Fifa
Para especialistas, os feitos de Iniesta e Ronaldo em 2012 dificilmente serão suficientes para desbancar Messi. O ex-atacante brasileiro Ronaldo, que participará da festa da Fifa na condição de membro do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014, é um dos que dariam a Bola de Ouro ao argentino “por justiça”. “O Cristiano Ronaldo teve a infelicidade de ter nascido na época do Messi, mas ele ganhará algum dia”, sorriu, recentemente.

Se a previsão de Ronaldo for confirmada, o próprio brasileiro será ultrapassado por Messi no histórico da premiação da Fifa. Ele foi o melhor do mundo em 1996, 1997 e 2002, enquanto o seu amigo francês Zinedine Zidane ganhou em 1998, 2000 e 2003. “Na época atual, Messi e Cristiano Ronaldo são os dois únicos que realmente brigam pela Bola de Ouro. No meu tempo, havia Zidane, Figo, Rivaldo, Ronaldinho Gaúcho, Beckham... Era uma lista de dez prováveis vencedores”, diferenciou.

Mesmo que Messi vença Iniesta (e Cristiano Ronaldo), o momento é da Espanha. O trio de finalistas de Bola de Ouro atua no país. Entre os profissionais que tentam o título de melhor técnico de 2012, estão o experiente Vicente Del Bosque, da seleção espanhola, o português José Mourinho, do Real Madrid, e o por enquanto inativo Josep Guardiola, que estava no Barcelona.

Neymar disputa mais um troféu
O Brasil terá ao menos um representante masculino na disputa pelos prêmios concedidos pela Fifa. Vencedor do Prêmio Puskas de gol mais bonito de 2011, o atacante Neymar está outra vez na briga pelo troféu. Seus concorrentes são o eslovaco Miroslav Stoch, do turco Fenerbahce, e o colombiano Radamel Falcao, do espanhol Atlético de Madri.

AFP
Neymar já ganhou Prêmio Puskas em 2011; para Blatter, ele só será finalista da Bola de Ouro se atuar na Europa
Neymar foi indicado ao Prêmio Puskas por um dos gols que marcou na vitória por 3 a 1 sobre o Internacional, na fase de grupos da última Copa Libertadores da América. O atacante do Santos também compete (com chances menores) para entrar na seleção dos destaques da temporada, enquanto os laterais Daniel Alves e Marcelo e os zagueiros David Luiz e Thiago Silva figuraram na relação inicial de melhores defensores.

Um jogador brasileiro não é apontado pela Fifa como o melhor do mundo desde que o meia Kaká, então no Milan, ganhou a eleição de 2007. “Isso só confirma o que venho falando. O Brasil atravessa uma entressafra. É hora de reciclar. Temos grandes talentos, um deles foi lembrado entre os candidatos para a seleção do ano, mas obviamente o nosso futebol não vive o seu melhor momento. Talvez seja o pior da história”, criticou Ronaldo, à época do anúncio dos finalistas da Bola de Ouro.

Para o suíço Joseph Blatter, presidente da Fifa, Neymar só terá condições de disputar o prêmio de melhor do mundo com Messi, Cristiano Ronaldo, Iniesta e outros quando atuar no futebol europeu. “Ronaldo já falou tudo. Eu não poderia ter dito melhor”, desconversou o mandatário, evitando fazer ainda mais críticas aos jogadores brasileiros do presente.

Marta tenta a sua sexta conquista
Chamada de jogadora “cinco estrelas” pelo presidente Joseph Blatter, em função das cinco Bolas de Ouro que já conquistou, a meia Marta é finalista na disputa por mais um troféu. A brasileira terá as norte-americanas Alex Morgan e Abby Wambach, campeã das últimas Olimpíadas, como oponentes. Em 2011, quem ganhou o prêmio foi a japonesa Homare Sawa

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Marta é chamada de "cinco estrelas" por Blatter e concorre com norte-americanas por sexta Bola de Ouro da carreira
“Se a gente for falar tudo sobre os nomeados da Fifa... É muito talento”, sorriu Marta, política. “Todas as jogadoras que estavam na disputa fizeram por merecer, tendo algum destaque no ano”, concluiu a brasileira.

A Bola de Ouro não será o único prêmio envolvendo o futebol feminino na cerimônia da Fifa. A entidade ainda elegerá o melhor técnico das mulheres. Os candidatos são o francês Bruno Bini, o japonês Norio Sasaki e o sueco Pia Sundhage. “A disputa de melhor treinador está muito boa. Os três tiveram um papel importantíssimo em suas equipes. Acho difícil apontar um vencedor”, analisou Marta.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade