Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Rhodolfo se surpreende com boatos e assegura permanência no Tricolor

Edoardo Ghirotto, especial para a GE.Net Cotia (SP)

As costumeiras especulações europeias que envolvem o nome de jogadores brasileiros pegaram o zagueiro Rhodolfo de surpresa. Especulado por diversos jornais italianos como provável reforço da Juventus, o defensor são-paulino disse que não chegou a ouvir nenhuma oferta oficial nas férias. Ao reiterar sua vontade de permanecer na equipe, o atleta garantiu que tentará se firmar como titular para colocar mais um quadro de campeão da Libertadores nas paredes do clube.

“Nas férias a gente lê alguma coisa e todo mundo tava me vendendo e me colocando no banco sem a pré-temporada ter começado”, sorriu o atleta. “A minha meta aqui é chegar ao título da Libertadores. Eu não quero sair daqui para ser campeão. O São Paulo tem tradição e eu quero colocar mais um quadro de campeão aqui”, emendou.

O espanto de Rhodolfo com os boatos envolvendo o seu nome foi tamanho que até os próprios amigos duvidaram de sua palavra antes de a pré-temporada ter início no CFA de Cotia. “Só vi essas coisas pela imprensa. Ninguém me ligou e estavam falando até que eu já me apresentava na Juventus. Os meus amigos me ligavam falando que eu não queria dizer que tinha sido vendido. Mas isso não existe, eu sou do São Paulo e quero ficar por aqui”, ponderou.

Fernando Dantas/Gazeta Press
O zagueiro Rhodolfo revelou que até os seus amigos duvidaram de sua permanência no São Paulo em 2013
Rhodolfo foi escolhido por Ney Franco para ser o companheiro do pentacampeão Lúcio neste início de temporada. O treinador procurou não fazer qualquer tipo de improvisação no setor e optou pela dupla que mais lhe passou confiança para enfrentar o Mirassol, no Paulista, e o Bolívar, na pré-Libertadores.

Com a titularidade praticamente garantida nos primeiros desafios do São Paulo no ano, o zagueiro espera superar o companheiro Rafael Toloi na competição interna que se instaurou no Tricolor e garantir uma sequência regular até o final de 2013. “Essa briga por posições é sadia e precisa ser dentro de campo. Todos aqui são muito amigos e quem o Ney Franco escolher vai se acostumar melhor”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade