Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Felipe não se conforma com pênalti; Gil prevê desculpas do árbitro

Helder Júnior São Paulo (SP)

O zagueiro Felipe está empolgado com as chances que ganhou como titular do Corinthians, no início do Campeonato Paulista. Até agora, no entanto, ele não comemorou uma vitória: participou do empate por 1 a 1 com o Paulista de Jundiaí e ainda cometeu o pênalti que decretou a derrota por 1 a 0 para a Ponte Preta, quarta-feira, no Pacaembu.

“Não foi pênalti!”, garantiu um inconformado Felipe, na manhã desta quinta-feira. Sempre que o assunto era abordado, o zagueiro vindo do Bragantino há cerca de um ano balançava a cabeça negativamente e lamentava-se. Tudo o que ele não queria era ficar marcado por lances cruciais nos jogos que o Corinthians disputa sem seus titulares, ainda em pré-temporada.

“Assim que acabou o jogo, procurei saber se foi pênalti ou não. Eu estava na jogada com o Cicinho e quis proteger a bola. O juiz deu a falta, infelizmente. Fomos tentar conversar depois do jogo para entender, mas ele se calou. Aconteceu... Muita gente me falou que não foi pênalti. Fiquei mais tranquilo asssim”, disse.

Um dos que concordaram com Felipe foi o técnico Tite, que conteve as reclamações de seus jogadores com o árbitro Luiz Vanderlei Martinucho ainda no gramado do Pacaembu. O comandante também ressaltou a sua preocupação com o fato de a jogada poder prejudicar a ascensão de seu jovem zagueiro.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Gil e Felipe foram protestar com a arbitragem após a derrota para a Ponte Preta, quarta-feira, no Pacaembu
Retratação
Reforço da defesa, o estreante Gil estava junto de Felipe durante o jogo contra a Ponte Preta e também após a partida, nos protestos contra a arbitragem. “Foi um lance normal. Não houve nada, e o árbitro acabou se equivocando. Tenho certeza de que ele verá o seu erro depois, como disse o Tite, e terá a humildade de se desculpar”, previu.

Curiosamente, Gil já se envolveu em um pênalti muito controverso como adversário do Corinthians, também no Pacaembu. No Campeonato Brasileiro de 2010, o atacante Ronaldo caiu na área em dividida com o então zagueiro do Cruzeiro, e o árbitro Sandro Meira Ricci apontou a marca da cal.

“É difícil, não?”, sorriu Gil, lembrando-se do seu histórico de penalidades contrárias no estádio municipal paulistano.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade