Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Fluminense sonha com Riquelme, mas Palmeiras não se assusta

Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

O futuro do meia Riquelme movimenta os bastidores do futebol brasileiro. O presidente do Fluminense, Peter Siemsen, confirmou nesta segunda-feira o desejo de contratar o argentino, aumentando a concorrência do Palmeiras, que negocia com o atleta há semanas.

“É um jogador referência em termos de mercado mundial e que tem respeito muito grande na América do Sul. Para a Libertadores, ele seria ótimo, mas não depende só da gente”, afirmou o mandatário tricolor, durante evento na capital paulista.

A manifestação de Siemsen não assustou o presidente palmeirense, Arnaldo Tirone, que esteve na mesma cerimônia e defendeu o poder de seu clube na busca por reforços, apesar de, até agora, só ter contratado o goleiro Fernando Prass e o lateral direito Ayrton para 2013.

“O Palmeiras pode brigar de igual para igual com qualquer time, só depende da filosofia de trabalho e do investimento feito”, afirmou o dirigente, que deixa o cargo na segunda-feira. “Temos uma semana pela frente, o Palmeiras é muito grande e não vai se apequenar”.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Riquelme despertou o interesse de Palmeiras e Fluminense, mas ainda não decidiu futuro
Mesmo com o discurso contundente em relação à concorrência do Fluminense, o presidente alviverde muda de postura ao admitir não estar tão próximo de um acerto com o meio-campista.

“O caso já esteve mais aquecido e deu uma esfriada, por uma investida do Boca Juniors há dez dias. Mas ficamos sabendo que ele não vai ficar lá e estamos esperando o Riquelme passar os números para analisarmos a parte financeira e viabilizarmos a contratação”, ponderou.

Do outro lado, Siemsen evita utilizar o rebaixamento do concorrente à Série B do Brasileiro para tentar convencer o argentino a optar pelas Laranjeiras nesta temporada.

“A camisa do Palmeiras supera qualquer discussão de divisão. Acho que não será por divisão que o jogador vai escolher, porque é um orgulho também para qualquer um jogar lá”, concluiu o mandatário tricolor, que, em 2011, contratou o argentino Martinuccio quando o atleta estava praticamente acertado com o Verdão.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade