Futebol/Campeonato Paulista - ( )

Sem "cereja do bolo", São Paulo testa nova receita contra Mirassol

Tossiro Neto São Paulo (SP)

O São Paulo não conseguiu repor a saída de Lucas com a contratação de uma "cereja do bolo", como diziam os diretores. Será sem um substituto para o principal jogador do ano passado, portanto, que a equipe subirá a campo pela primeira vez nesta temporada, às 17 horas (de Brasília) deste sábado, para encarar o Mirassol, no Morumbi.

O técnico Ney Franco chegou a ensaiar uma formação com losango no meio-campo, mas não gostou do desempenho ao longo da pré-temporada e decidiu, na véspera da partida, pela manutenção do 4-2-3-1 utilizado para conquistar a Copa Sul-americana. Do meio-campo para frente, duas mudanças: Paulo Henrique Ganso assume a armação e força a improvisação de Jadson do lado direito do ataque.

"Espero que nossa vitória ou derrota não esteja condicionada à presença ou não do Lucas em campo. Queremos nos adaptar o mais rápido possível à ausência dele", diz o treinador.

Do meio-campo para trás, há mais novidades, ao menos para este primeiro compromisso. Além da entrada do recém-contratado Lúcio no lugar de Rafael Toloi, os laterais Douglas e Thiago Carleto, que voltou de empréstimo do Fluminense. O primeiro jogará em razão da suspensão de Paulo Miranda na Copa Libertadores. Já o segundo substitui o titular Cortez, vetado por causa de dores musculares na coxa direita.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Ganso e Lúcio são as principais novidades do novo São Paulo comandado pelo técnico Ney Franco
É um novo São Paulo, que, sem a "cereja" prometida, tenta provar que não é um simples bolo de jogadores, a poucos dias da estreia na fase preliminar Libertadores – o jogo de ida contra o Bolívar será na quarta-feira, no Morumbi. Apesar de o clube dar valor ao Campeonato Paulista, o torneio continental é o principal objetivo do semestre.

"A responsabilidade é de um jogo que vale três pontos, mas, ao mesmo tempo, queremos fazer ajustes para o jogo de quarta-feira. Você tem que fazer ajustes táticos e ter a competência de ter um índice maior de acerto do que de erro. Definimos a forma de jogo e esperamos estrear bem", observa Ney Franco.

O Mirassol, ao contrário do São Paulo, trata a competição como prioridade e também tem caras novas. A principal delas é Marcel, atacante de 31 anos que fez carreira em grandes clubes, como Coritiba, São Paulo, Grêmio, Santos e Vasco. Ele, porém, ainda precisa de mais alguns dias de treinamento para estrear pelo time da cidade em que nasceu.

Afora ele, a equipe interiorana contratou outros 12 reforços, dentre os quais se destacam Diego (ex-goleiro do Flamengo) e Rodrigo Possebon (volante revelado pelo Santos, com passagem pelo Manchester United), e contou com o retorno de sete jogadores emprestados, como Borebi, que estava no Santo André.

No último jogo-treino, um empate por 1 a 1 com o Marília animou o técnico Ivan Baitello. "Nosso grupo mostrou-se muito bem. O teste foi de muita pegada e deu para nós traçarmos um esboço para a estreia do Paulistão", comentou, na ocasião.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO X MIRASSOL

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 19 de janeiro de 2013, sábado
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus
Assistentes: Mauro Freitas e Renata Ruel de Brito

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Douglas, Lúcio, Rhodolfo e Carleto; Wellington, Denilson e Ganso; Jadson, Osvaldo e Luis Fabiano
Técnico: Ney Franco

MIRASSOL: Diego; Arnaldo, Welton Felipe, Gian e Andrezinho; Alex Silva, Mineiro, Camilo e Felipe Lima; Caion e Adilson Bahia
Técnico: Ivan Baitello

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade