Futebol/Campeonato Gaúcho - ( - Atualizado )

Índio se prepara para disputar a nona temporada pelo Internacional

Do correspondente Vicente Fonseca Porto Alegre (RS)

Nenhum jogador é mais vitorioso dentre todos os que já vestiram a camiseta do Internacional em algum momento dos seus quase 104 anos de fundação do que o zagueiro Índio, que completará 38 anos em fevereiro. Em oito anos de clube, ele participou das conquistas do Mundial de 2006, duas Libertadores, duas Recopas, uma Copa Sul-Americana e cinco estaduais. Trata-se do único remanescente do time campeão do mundo que segue atuando pelo Colorado.

“Alguns optaram por seguir novos ares e acabei ficando. Fico feliz, alegre, confiante e sigo trabalhando com a expectativa de um 2013 muito bom”, diz Índio, que viu o companheiro de zaga Bolívar deixar o clube e acertar com o Botafogo para esta temporada.

O zagueiro renovou contrato até dezembro e se prepara para disputar sua nona temporada pelo Inter. E, apesar do currículo, diz não se considerar superior a nenhum dos seus concorrentes por posição na equipe principal: “eu já completei oito anos aqui e sempre disse que nunca me considerei titular. Sempre procurei só trabalhar, focado, alegre e feliz, em prol do Inter e do grupo. Continuo assim em 2013 e tentando crescer a cada dia. Estamos muito bem servidos de zagueiros. Vamos trabalhar pensando como um todo e cabe ao professor Dunga escolher”, destaca.

Índio reafirma o desejo de encerrar a carreira no Internacional. Mas não tem pressa para pendurar as chuteiras. “Enquanto eu estiver me sentindo bem vou continuar trabalhando. Tenho ido bem nos treinos físicos e me sentido bem. Vou pensar a cada ano que passa. Estou muito feliz nesse momento e falar um ano certo para eu parar não teria como dizer nesse momento”.

Paulista de Maracaí, Índio já disputou 365 partidas pelo Inter. É o zagueiro que mais marcou gols na história do clube (32). Além de todos esses títulos e números, um fator faz com que ele tenha o carinho especial da torcida colorada: o bom retrospecto em Gre-Nais. Foram seis gols marcados no arquirrival Grêmio, o mesmo número que o meia D’Alessandro e mais que Fernandão, que fez quatro gols em clássicos contra o Tricolor.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade