Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Assunção evita fazer críticas diretas a Valdivia em sua despedida

Helder Júnior São Paulo (SP)

Marcos Assunção respirou fundo, enxugou as lágrimas e conteve o desabafo quando o assunto era Valdivia, na entrevista coletiva em que anunciou o seu desligamento do Palmeiras, nesta segunda-feira. O veterano trocou agressões com o meia chileno pouco antes de o clube ser rebaixado à Série B do Campeonato Brasileiro.

“Houve, sim, um desentendimento. Vazou lá de dentro. São coisas que... Bom, estou afirmando que aconteceu o episódio, mas isso deveria ficar em sigilo no clube. Não tenho o que falar, sendo que éramos funcionários do Palmeiras, principalmente eu”, comentou Assunção, sisudo com o tema.

Segundo o volante, o “principal problema” do Palmeiras em 2012 foi o vazamento de notícias. “Prefiro deixar para as pessoas que viram a minha briga com o Valdivia, que estavam lá naquele momento, fazerem suas análises. Foi algo que aconteceu no vestiário. Deveria ter ficado lá”, repetiu o volante.

A confusão ocorreu porque Assunção havia cobrado mais empenho de Valdivida. Tomando infiltração no joelho para poder jogar, o volante não aceitava que o companheiro, lesionado frequentemente, estivesse inativo em um momento crucial para o Palmeiras no Campeonato Brasileiro.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Marcos Assunção se desentendeu com Valdivia no Palmeiras, mas só contestou o chileno indiretamente

“Não fui só eu que me dediquei. Também deram suas caras para bater Márcio Araújo, Artur, Maurício Ramos, outro que atuou machucado, Bruno, que as pessoas queriam que rendesse sempre mais... A torcida podia pegar no pé, mas, bem ou mal, eles sempre estavam disponíveis ao treinador. São seres de caráter, verdadeiros homens”, enalteceu Assunção, sem mencionar Valdivia. “Desculpem-me se esqueci alguém.”

Em 2013, Marcos Assunção foi treinar na Academia de Futebol mesmo sem contrato com o Palmeiras. O volante tinha a expectativa de receber um aumento salarial (“não valdiviano”, segundo o seu empresário, Ely Coimbra Filho) e permanecer no clube. Valdivia, ao contrário, faltou no início da pré-temporada e não apresentou justificativa.

“Se eu tivesse feito o mesmo que o Valdivia, as pessoas não deveriam falar nada. Eu já estava sem contrato com o clube. Mas, talvez com uma certeza de que permaneceria, resolvi me apresentar e iniciar logo o trabalho de fortalecimento no joelho”, explicou o ex-palmeirense Marcos Assunção.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade