Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Barcos defende irmão e diz que competitividade é entrave da Série B

Edoardo Ghirotto, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

A permanência do atacante Hernán Barcos no Palmeiras ainda é motivo de preocupação para a torcida. O jogador renovou o seu contrato até 2016 com o clube e rejeitou propostas vindas do Oriente Médio para disputar o Paulista e a Copa Libertadores pelo Verdão. Mas o desejo de seu irmão e empresário, David, em vê-lo em um time da primeira divisão ameaçou a sua sequência na Série B. E, segundo o próprio ‘Pirata’, as intenções do agente não devem ser condenadas pelos torcedores.

Barcos concedeu a sua primeira entrevista coletiva do ano nesta quarta-feira e voltou a reforçar o seu desejo de seguir no Palmeiras em 2013. O argentino garantiu ao torcedor que poderá disputar a segunda divisão tranquilamente e contornou as polêmicas iniciadas por seu irmão. Para o ídolo alviverde, a função de qualquer empresário é pensar nas melhores condições de trabalho para o seu cliente.

“Meu irmão é o empresário e eu sou o jogador. Para o meu irmão prevalece a minha condição econômica e o meu futuro. Ele acha que eu preciso jogar a Série A para ter chances de voltar para a seleção. É o pensamento dele e eu acho certo. Mas não depende só de mim. Se vier uma oferta que sirva para o Palmeiras e eles queiram me vender, eu virei aqui para explicar os motivos que me levaram a deixar o time. Agora eu não quero sair e estou pensando só no Paulista e Libertadores”, declarou o camisa 9.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
O nível técnico inferior da Série B é visto por Barcos como um obstáculo para sua convocação à seleção
A ferrenha defesa ao posicionamento do agente só não teve sequência quando Barcos falou de suas próprias preferências para 2013. O atleta tratou de colocar um ponto final em qualquer especulação e negou a sua saída imediata do Verdão. “Eu sempre falei que a Série B não me incomoda. Ela poderá dificultar o meu caminho até a seleção argentina, mas nunca me incomodou”, disse o atacante, que ainda elegeu qual seria o principal entrave para a sua continuidade no Palmeiras.

Como o seu principal sonho é disputar a Copa do Mundo de 2014 com a equipe nacional de seu país, o atacante crê que a inferioridade dos times da Segundona pode prejudicar a preferência do técnico Alejandro Sabella por seu futebol. “Eu não tenho dúvidas. A dúvida é do mundo inteiro. Ao invés de jogar com o Fluminense, eu vou disputar jogos com times da Série B. A competitividade não é a mesma. É por isso que não existe problema algum em ficar para o primeiro semestre. A competitividade é um problema”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade