Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

COF põe responsabilidade na diretoria e vê Palmeiras sem reposição

São Paulo (SP)

Por meio de nota oficial publicada no site do clube na tarde desta terça-feira, o Conselho de Orientação e Fiscalização (COF) voltou a garantir que não costuma vetar contratações realizadas pela diretoria do Palmeiras, única responsável pela ‘seca’ de reforços em 2013. Alberto Strufaldi Neto, presidente do órgão, ainda disse que o grupo de jogadores está carente de reposição e que, por isso, só teria motivos para desautorizar contratações que pudessem esvaziar os cofres palmeirenses.

As eleições presidenciais do Verdão ocorrem no próximo dia 21 de janeiro e, desde meados de dezembro, o COF precisa autorizar a contratação de jogadores pelo presidente Arnaldo Tirone. Dessa forma, apenas o lateral direito Ayrton e o goleiro Fernando Prass reforçaram o grupo, isso além dos volantes Souza e Wendel, que voltaram de empréstimo.

“Assim como os milhões de torcedores palmeirenses espalhados pelo país, o COF entende que o plantel atual necessita de peças de reposição para o decorrer da temporada, tendo em vista as importantes competições que a equipe vai disputar em 2013 e a necessidade de figurar novamente entre as principais agremiações do país com a disputa de novos títulos”, relata Strufaldi, rebatendo as posições dos dirigentes do Palmeiras e também do técnico Gilson Kleina, que vê a interferência do COF como um atraso para o clube.

O presidente do Conselho palmeirense ainda faz questão de dizer na nota que, mesmo não aprovando as contas de algumas gestões, não interferiu em contratações. “A única preocupação do COF, como sempre aconteceu, é de evitar negociações fora da realidade do clube e preservar a saúde financeira, justamente para as próximas gestões não encontrarem problemas nesse sentido”.

Nos próximos dias, o COF deve receber pedidos da diretoria para autorizar propostas pelo meio-campista argentino Riquelme, pelo lateral esquerdo Márcio Azevedo, do Botafogo, e pelo zagueiro colombiano Torres. Antes de entregar o cargo, na próxima segunda-feira, o presidente Arnaldo Tirone quer anunciar pelo menos mais uma contratação.

Djalma Vassão/Gazeta Press
O presidente Arnaldo Tirone voltou a ser criticado por conselheiros com menos de uma semana para sair do cargo

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade