Futebol/Campeonato Paulista - ( )

Com aval de Assunção, Ayrton vira o dono da bola parada no Palmeiras

William Correia e Helder Júnior São Paulo (SP)

Ayrton cobrou uma falta com perfeição e fez o único gol do Coritiba na final da Copa do Brasil, conquistada pelo Palmeiras. A especialidade despertou o interesse de Luiz Felipe Scolari e a diretoria acertou sua contratação no segundo semestre do ano passado. O lateral direito, porém, se apresentou quando o técnico já tinha saído e assume ainda outra incumbência: a de ser o cobrador oficial de faltas e escanteios. Marcos Assunção, antigo responsável pela função, dá seu aval ao camisa 2.

“O Ayrton e o Souza batem falta bem. Tomara que ajudem o Palmeiras muito mais do que ajudei, também fazendo gols e assistências. Pelo que já demonstraram, com certeza serão muito úteis”, apostou o volante, sem esconder sua irritação ao saber que o clube já cogitava também o meio-campista vindo do Náutico para o seu lugar enquanto ele ainda não tinha definido sua negociação para renovar.

Chateação do antigo capitão à parte, Ayrton sabe de sua responsabilidade. E a aceita. “Em todos os clubes por que passei, me destaquei nas bolas paradas. É um ponto forte meu. Espero substituir o Marcos Assunção à altura, porque ele é um excelente cobrador, um dos melhores do Brasil. Vou trabalhar forte para chegar ao mesmo nível”, prometeu o lateral, que, aos 27 anos, passará pela 12ª equipe de sua carreira.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Lateral direito assume a função de substituir Marcos Assunção e avisa que também marca gol com bola rolando
No Verdão, a pressão será grande. Se o jogador poderá dividir as cobranças de falta com Souza, Ayrton não tem reservas para sua posição. E assume a camisa 2 que só teve donos contestados desde Arce, paraguaio campeão da Libertadores de 1999 e da Copa do Brasil de 1998 que deixou o Palmeiras como ídolo em 2002. Mas o discurso do recém-contratado é de confiança.

“A lateral direita não é uma posição maldita no Palmeiras. Tenho que trabalhar forte, sempre buscando os objetivos, que no Palmeiras são títulos. Espero fazer um trabalho bom para suprir a ausência que vinha tendo e fazer um bom trabalho, porque a torcida merece”, falou Ayrton, de família palmeirense e confiança para agradar principalmente na parte ofensiva.

“Sou um jogador que ataca bastante, com bastante velocidade, chegando ao fundo e até mesmo fazendo gols não só de bola parada, mas rolando. Acredito que posso ajudar bastante nisso”, apontou. “E quero melhorar ainda mais na marcação para ser um lateral quase perfeito”, prosseguiu.

É o que Marcos Assunção espera. “Vou estar na torcida para que eu e o meu filho, que é palmeirense, possamos estar contentes no final do ano com a volta para a Série A”, disse o volante, que não renovou seu contrato com o Palmeiras.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade