Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Igualado a Ayrton e Souza, Assunção tem saída minimizada por Barcos

Edoardo Ghirotto, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

O título da Copa do Brasil e o rebaixamento para a Série B não serão as únicas lembranças que o torcedor do Palmeiras levará de 2012. As jogadas de bola parada de Marcos Assunção se tornaram a principal arma da equipe e encaminharam boa parte das vitórias conquistadas na temporada. A eficiência do veterano só não será recordada por Hernán Barcos, que negou categoricamente qualquer dificuldade do clube em se adaptar à ida do volante para o Santos.

Marcos Assunção chegou a jogar a reta final do Brasileiro com infiltrações no joelho e deixou o Palmeiras depois de ter um aumento salarial rejeitado pela diretoria. Sem obter a renovação de contrato, o atleta chorou em seu adeus ao Verdão e acertou dias depois com o Peixe. Mesmo com a identificação do experiente jogador com o time alviverde, Barcos acredita que os recém-chegados Ayrton e Souza cumprirão as mesmas funções do volante à altura.

“Não muda nada para o Palmeiras. O time se beneficiava da bola parada, mas o Assunção não fazia gol direto há muito tempo. O clube não dependia disso. Ele cruzava para a área e nós temos o Ayrton e Souza para fazer isso agora. Essa jogada será importante para nós e só ficaria complicado se precisássemos mesmo disso”, declarou o argentino, que, ao contrário de Assunção, recebeu um novo aumento para renovar até 2016 com o Verdão.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Barcos entende que Souza e Ayrton têm condições de suprir a ausência de Marcos Assunção em 2013
Ayrton tomou o lugar ocupado pelo dispensado Artur na última edição do Brasileiro e já se apossou das cobranças de bola parada. O lateral direito foi, inclusive, o responsável pelo lançamento que levou Barcos a anotar o gol alviverde no empate por 1 a 1 com o Juventus, em jogo-treino disputado na última terça-feira.

Souza, por sua vez, voltou ao Palmeiras depois de uma grande temporada pelo Náutico. Antes repreendido pelo técnico Muricy Ramalho, por tentar chutes de longa distância em sua passagem pelo Palestra Itália, em 2009, o jogador se tornou peça-chave para Alexandre Gallo e ajudou o Timbu com diversos gols em cobranças de falta. Com o término de seu empréstimo, Gilson Kleina pediu o retorno do 'prata da casa' e já confirmou a sua titularidade no Paulistão.

O Palmeiras fará o seu primeiro jogo oficial neste domingo, contra o Bragantino, no estádio do Pacaembu. Sem contratações de peso para 2013, Kleina testou variações táticas para o time e confirmou o Verdão com Fernando Prass; Ayrton, Maurício Ramos, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Souza, Wesley e Patrick Vieira; Luan e Barcos. O esquema ganhará novos ajustes nesta quinta-feira, quando o treinador comandará treinos com portões fechados para a imprensa.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade