Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Sampaio admite que time “corre por fora” em 2013 e já pede superação

William Correia São Paulo (SP)

A sensação que o torcedor palmeirense tem também atinge o gerente de futebol do clube. Enquanto Corinthians, São Paulo e Santos contratam nomes como Alexandre Pato, Lúcio e Montillo, o Verdão só trouxe o goleiro Fernando Prass e o lateral direito Ayrton. Situação que faz César Sampaio admitir: o time está atrás dos rivais.

“Com relação a nomes e momento, podemos dizer que vamos correr por fora. Vamos precisar hoje de uma superação grande”, já cobrou o dirigente, que trabalha desde segunda-feira sem salário. “Todos têm que entender o nosso momento e fazer não só o que é devido, mas algo a mais para superar isso”, solicitou.

Para reformular o elenco do rebaixamento no Brasileiro, o Palmeiras, até agora, só conseguiu dispensar: 20 já saíram. Mas, para contratar, além das dificuldades financeiras e inabilidade nas negociações, os dirigentes estão com mãos atadas pelo poder concedido ao Conselho de Orientação e Fiscalização (COF) do clube de avaliar e até vetar a chegada de reforços até as eleições presidenciais no dia 21.

Obstáculo que deixa Gilson Kleina decepcionado tendo só 21 atletas para trabalhar na pré-temporada, já que Fernandinho se recupera de cirurgia, Valdivia ainda não apareceu e cinco jogadores disputam a Copa São Paulo de Futebol Júnior. “Não só em termos de qualificação, mas também para um calendário de quatro competições no ano, o número de jogadores não atende ao que a comissão técnica pediu”, disse Sampaio.

Antes mesmo de disputar a Série B do Brasileiro, prevista para iniciar no fim de maio, o Verdão vai sofrer no Paulista, que começa no dia 20 para a equipe, e na Libertadores, a partir do próximo mês. Quem avisa é o gerente de futebol. “Estamos em desvantagem por uma série de circunstâncias”, confessou, na esperança de convencer o COF a liberar, ao menos, três reforços em duas semanas.

“Até as eleições, espero que tenhamos nos fortalecido com pelo menos duas opções para cada posição. E que quem venha a assumir trabalhe na qualificação e na busca por um diferencial no elenco, e não na formatação do grupo. Isso seria uma grande perda de tempo”, comentou Sampaio, preocupado em trazer, principalmente, zagueiros.

O gerente de futebol só tenta não deixar a esperança morrer. Até a estreia no Paulista, no dia 20, contra o Bragantino. “Se o torcedor no início do Paulista for para o Pacaembu e tiver a perspectiva de um ano promissor, já começa a mudar o cenário. Temos que trabalhar para montar uma equipe que venha a dar expectativa para o torcedor e a nós.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade