Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Valdivia sobre sumiço: "Não acreditariam que treinei nas férias"

William Correia São Paulo (SP)

Valdivia tinha que ter se apresentado na quinta, foi dar seu primeiro sinal com um SMS para César Sampaio na sexta e só foi dar um telefonema no sábado, quando disse que treinou durante as férias em uma clínica em Santiago, que disponibilizou fotos. A razão de tanta demora para explicar, segundo o meia, é simples: ninguém acreditaria que ele estava trabalhando no período de descanso.

Logo após seu primeiro treino na pré-temporada, o camisa 10 apareceu para dar entrevista coletiva com um envelope contendo os resultados dos exames realizados por ele na clínica MEDS, especializada em diversos esportes e acompanhado por Carlos Burgos, que foi preparador físico do tenista Fernando González. Tudo para realmente provar que não está mentindo.

“Entrei em contato com o César no dia 3 à tarde”, disse Valdivia, já dando uma versão diferente da do dirigente, que na sexta-feira, dia 3, deu entrevista dizendo não ter falado ainda com o jogador. “Disse a ele que não comentei ou falei antes da apresentação por um motivo simples: ninguém iria acreditar que nas férias eu iria estar treinando. E eles entenderam: ninguém iria acreditar”, prosseguiu o chileno.

Por sua descrença na confiança que todos tem com ele, que não joga desde 6 de outubro por lesão no joelho esquerdo, o camisa 10 teve que arcar com uma multa. “Foi um erro meu não ter avisado antes. Por isso a multa foi correta, com certeza, porque não me apresentei com o grupo. O Palmeiras está certo. Mas corri o risco de não me apresentar no dia 3 porque teriam cortado meu tratamento lá”, continuou.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Meia já teve até seu sequestro relâmpago colocado em dúvida e, por isso, resolveu não falar sobre treino nas férias
Apesar de todo o problema, o Mago tem certeza de que está certo. “O campeonato acabou no dia 2 (de dezembro) e fiquei até o dia 10 (de dezembro) treinando com o Schiavo na academia dele, fazendo um trabalho que me ajudou a não ter mais dor. Eu não estava de férias, estava treinando todos os dias desde 20 de dezembro para voltar como voltei hoje (segunda-feira), muito bem. Se eu não tivesse feito o que fiz nas férias, talvez estivesse tratando no departamento médico até hoje e voltasse a treinar com o grupo daqui duas semanas”, afirmou o meia, que deu entrevista coletiva enquanto seus colegas terminavam treino com bola - o camisa 10 só fez trabalhos físicos com o lateral direito Fabinho Capixaba, que está fora dos planos de Gilson Kleina.

Valdivia não se arrepende nem de ter desrespeitado ordem médica e até minimizado as condições do clube, já que foi treinar em outras dependências. “Não me arrependo de nada do que fiz nas férias. O departamento médico não tinha que saber, eu estava de férias. O que você faz nas férias é da sua conta. E eu trabalhei nas férias”, insistiu.

“Quando fui embora, o departamento médico passou uma recomendação, mas não segui porque era mais baseada em tratar e recuperar a lesão do joelho. Não fiz fisioterapia, só musculação, trabalho de carga máxima para fortalecer e chegar bem, encurtando o tempo de recuperação”, argumentou.

Por isso, Valdivia dá a impressão de querer ser enaltecido, já que se apresentou com quatro dias de atraso, mas alega treinar há 28 dias. “Fizemos um projeto, um plano de trabalho que consistia em treinar duro por duas semanas e acabou no dia 5 de janeiro, no domingo. Eu treinava na maioria das vezes por dois períodos, de segunda a domingo. Minha demora é por isso”, comentou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade