Futebol/ - ( - Atualizado )

De volta ao Santos, Assunção promete dedicação: “Quero ser útil"

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

Após quase 14 anos, o volante Marcos Assunção está de volta ao Santos. O experiente jogador, de 36 anos de idade, foi apresentado oficialmente no inicio da tarde desta terça-feira, na Vila Belmiro, como novo reforço do Peixe. Satisfeito com o seu retorno para o clube praiano, Assunção chegou projetando títulos nesta que será a sua terceira e, provavelmente, última passagem com a camisa santista.

Apresentado com a camisa 20, com a qual brilhou defendendo Roma (Itália), Real Betis (Espanha) e Palmeiras, o veterano meio-campista chega disposto a erguer muitas taças nesse novo período atuando pelo time alvinegro.

“Estou bastante feliz. Nunca escondi que sou torcedor do Santos desde pequeno. Além disso, em cada clube que passei, fiz coisas boas. Você não pode ir para um clube e manchar o nome dele com polêmicas, brigas ou decepções. Foi isso que tentei em toda minha carreira. Nesse último ano no Santos, darei meu máximo, como sempre foi nos outros clubes. Serei até mais profissional do que nos outros clubes por onde passei. Espero que possamos ter um ano de conquistas”, disse Assunção.

O volante assinou contrato de um ano com o Santos. Assunção irá receber um salário mensal fixo, com bonificações previstas, de acordo com a produtividade do atleta. Mesmo sem confirmar, este pode ser o último ano de sua carreira.

Divulgação
Marcos Assunção admitiu sempre torcer para o Santos e disse querer títulos com a camisa alvinegra
 “Vou treinar forte e me dedicar ainda mais, porque estou mais velho e pode ser o último ano de contrato. Não quero terminar a carreira com as pessoas falando mal de mim. Quero que digam que o Marcos Assunção parou, mas jogando em um nível legal, sendo útil e ajudando a equipe. Agora, tudo pode mudar. Se tivermos um ano de conquistas, o corpo até aguenta mais, você fica mais leve. Ás vitórias e os títulos fazem o corpo suportar mais. É o que faria não me aposentar”, ponderou.

Sobre a sua especialidade, a bola parada, Marcos Assunção espera que essa se torne uma “arma” santista durante a temporada, especialmente com a quantidade de faltas que são sofridas pelo atacante Neymar, durante as partidas.

“Não quero ser artilheiro, apenas pretendo ser útil ao time. Pretendo fazer o que fiz durante toda a minha carreira, para ajudar as equipes que eu defendi”, finalizou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade