Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Muricy promove estreia de Gabigol, mas pede calma com promessa

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

Uma das promessas do Santos para o futuro, o meia-atacante Gabriel Barbosa, o Gabigol, fez a sua estreia no elenco principal do clube. O garoto, de apenas 16 anos de idade, entrou nos minutos finais da vitória de 4 a 0 sobre o Grêmio-SP, na noite desta quarta-feira, no Pacaembu, no lugar do também jovem Victor Andrade. Gabigol foi aplaudido pela torcida santista presente ao estádio.

Apesar de ter colocado o meia-atacante para fazer a sua primeira partida entre os profissionais, o técnico Muricy Ramalho não quis fazer elogios rasgados para Gabriel Barbosa. “O Gabigol não pode se entusiasmar, pois amanhã (quinta) ele vai voltar para a base. Colocamos o garoto só para sentir o gosto, ele vai entrar pouco a pouco. Ele está conosco de vez em quando. Quis dar uma oportunidade para o Gabriel saber o que é jogar no Pacaembu, com muita gente assistindo. É uma experiência a mais na trajetória dele”, analisou.

O treinador ainda aproveitou para pedir calma com o lançamento de Gabigol na equipe principal. “Ele é um menino que tem boa personalidade, mas sabe que precisa ter paciência. Ele tem que aprender muito e ser humilde. É uma promessa do clube e temos que tomar conta desse jogador”, explicou.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Muricy cobra pés no chão de Gabigol após garoto entrar em campo ovacionado pela torcida
Sorridente com a primeira chance entre os profissionais, o novato mostrou ter assimilado as palavras de Muricy e garantiu não ter pressa para se firmar no time principal alvinegro. “Tenho muito respeito pelo professor Muricy Ramalho, que é um grande profissional e tem muita experiência. Estou tranquilo. Sei que tenho de trabalhar e muito para buscar o meu espaço. Todos os jogadores do mundo têm alguma coisa para aprender e eu não sou diferente. Tenho só 16 anos”, comentou.

Indagado sobre a emoção de ter feito a sua estreia no elenco profissional, Gabigol não escondeu a sua felicidade. “Quando eu entrei em campo, a torcida aplaudiu. Arrepiou todo o meu corpo. Estou muito contente. É uma felicidade enorme”, emendou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade