Futebol/Campeonato Paulista - ( )

Nunes diz que pensou em “pegar” Neymar; Joia rebate e Muricy ameniza

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

A vitória do Santos sobre o Botafogo-SP, por 3 a 0, na noite da última quarta-feira, na Vila Belmiro, não foi bem aceita pelo atacante Nunes. Mas a revolta do jogador do Botinha não tem relação com o resultado da partida e, sim, com o que seria, em sua opinião, um menosprezo do santista Neymar. Tanto que Nunes deu declarações polêmicas, nas quais destacou que pensou em agredir o camisa 11 do Peixe, por conta de um lance de efeito no segundo tempo do confronto entre as duas equipes.

“O Neymar é um grande jogador, mas quando ele chegar à minha idade vai aprender que não precisa menosprezar o adversário. Eu pensei em dar uma ‘chegada’ nele, mas pensei que não seria bom para a minha carreira. Não digo pelo chapéu, que ele teve sorte no lance, mas pelo fato de ele fazer embaixadinhas e colocar a mão na cintura. Pensei em pegá-lo”, afirmou Nunes, em entrevista à Fox Sports.

Indagado sobre o tema, o craque alvinegro evitou polemizar, mas negou que as embaixadinhas na lateral do campo e o fato de ter colocado a mão na cintura, antes de driblar o adversário, tenham atitudes desrespeitosas.

“Só tenho que rir. Quem tem boca fala o que quer. Não faço só quando meu time está ganhando. Meu futebol é assim”, rebateu Neymar, após a conquista do Santos, na Copa São Paulo de Juniores, nesta sexta, no Pacaembu.

O técnico Muricy Ramalho também deu a sua opinião sobre o tema. O treinador corroborou o discurso da Joia e negou que Neymar tenha feito algum tipo de lance para menosprezar Nunes ou com qualquer atleta do Botafogo-SP.

“Sobre o Nunes, nós entendemos. Ele perdeu o jogo, foi driblado, e isso (bronca por uma jogada de efeito) existe mesmo no futebol. O Nunes é meio ‘cabeça quente‘, apesar de que ele melhorou muito por conta da idade. Temos que respeitar o que ele sentiu, afinal ninguém gosta de perder. Só não concordo em alguém dizer que, as vezes, o Neymar menospreza. Ele não menospreza ninguém, é o jeito dele de jogar. Não tem como tirar isso dele. O Nunes pode ter certeza que não foi um menosprezo, não”, analisou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade