Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Santos recua diante de alta quantia pedida por Carlos Eduardo

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

O clima de otimismo em relação às negociações para a contratação do meia-atacante Carlos Eduardo não existe mais entre os dirigentes do Santos. O vice-presidente do clube, Odílio Rodrigues, destacou que o Peixe continua no páreo pela contratação do jogador, mas vê diferenças entre o que foi pedido pelo empresário de Carlos Eduardo, Jorge Machado, e o que a diretoria santista está disposta a pagar.

“As conversações continuam entre o Santos e o representante do atleta. O Carlos Eduardo é um bom jogador e o Santos sempre se interessou por essa contratação. Só que existem diferenças consideráveis e o Santos é muito cauteloso. O nosso comitê de gestão tem uma responsabilidade muito grande com relação aos investimentos feitos pelo clube. Vamos ver se reduzimos a diferença entre as partes e a negociação evolui“, disse Odílio, na tarde desta quinta-feira, no CT Rei Pelé.

Por essa razão, a cúpula alvinegra admite que as conversas estão em um estágio complicado. “Como eu frisei, o Santos vai estudar essa possibilidade com muita cautela. Sabemos que é natural os jogadores que estão fora do país receberem salários elevados, mas a realidade do futebol brasileiro é diferente. O Santos não vai fazer loucuras e, dentro das suas possibilidades, vai tentar um acordo. Temos que deixar claro que é uma negociação difícil”, comentou.

Divulgação
Carlos Eduardo foi liberado pelo Rubin Kazan para negociar sua volta por empréstimo ao Brasil
Além de o Santos ter feito uma oferta salarial inferior ao valor pedido pelo meia-atacante, a inclusão de uma quantia referente às luvas também amarra a negociação. Fora isso, Flamengo, Fluminense e Internacional também têm interesse em Carlos Eduardo. O Rubin Kazan-RUS aceita emprestá-lo gratuitamente, por 18 meses.

Odílio Rodrigues reiterou que, independentemente dos concorrentes pela contratação do jogador, de 25 anos de idade, o Peixe tem a sua linha de conduta administrativa. “Sabemos que existem outros clubes interessados, mas temos os nossos limites e não podemos participar de leilão. Esperamos que, dentro do que estamos dispostos a oferecer, a proposta atenda aos interesses do Carlos Eduardo. Porém, o fato de outros times estarem interessados nele não muda em nada a situação para o Santos”, finalizou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade