Futebol/Bastidores - ( )

A pedido do Peñarol, jogo para Pedro Rocha deve ser no meio do ano

Tossiro Neto São Paulo (SP)

São Paulo e Peñarol realizariam em 12 de janeiro um amistoso cuja renda seria revertida à família de Pedro Rocha, ídolo dos dois clubes, mas a partida foi cancelada a pedido dos uruguaios. A justificativa é de que a viagem à capital paulista atrapalharia a pré-temporada, e o jogo deve ficar para a metade da temporada.

Aos 70 anos, o ex-jogador sofre de atrofia do mesencéfalo, doença que o impede até mesmo de andar e falar, além de causar dano à visão. O valor arrecadado com o amistoso no Morumbi ajudaria com remédios e demais despesas.

"O São Paulo já vem nos ajudando quando é preciso fazer exames médicos ou de alguma internação. O clube tem ajudado bastante, inclusive colocou uma enfermeira à disposição do meu pai", diz Pedrinho, um dos três filhos do ex-meia..

Reprodução
São Paulo lançou camisas especiais dos uruguaios
Outra ajuda oferecida pelo São Paulo, em parceria com a Reebok, foi o lançamento de uma camisa comemorativa de ídolos uruguaios (Pedro Rocha, Pablo Forlán, Darío Pereyra e Diego Lugano), em setembro. A família de Pedro Rocha ficou com 10% do valor.

Diante do sucesso de vendas, O clube pode reeditar a camisa de Pedro Rocha, mesmo com a troca de fornecedora de material esportivo - o contrato com a Reebok se encerrou em dezembro, sendo substituída pela Penalty. Pedrinho, no entanto, diz ainda não ter sido procurado por ninguém da empresa.

Apelidado de Verdugo, Pedro Rocha atuou pelo São Paulo do início da década de 1970 até 1977, tendo feito 119 gols e conquistado um título nacional e dois estaduais. Pelo Peñarol, clube em que foi revelado, ganhou, dentre outros títulos, três vezes a Copa Libertadores e duas vezes o Mundial Interclubes (ou Copa Intercontinental) antes de ir para o futebol brasileiro.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade