Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Altitude faz treinador são-paulino não contar com classificação

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Só um vexame histórico impedirá que o São Paulo se classifique para a fase de grupos da Libertadores depois da goleada por 5 a 0 sobre o Bolívar, nesta quarta-feira. Mas o técnico Ney Franco não conta com a vaga antes do tempo, principalmente em razão da altitude de La Paz, palco da partida de volta, daqui a uma semana.

"Vamos saber se o placar foi bom só depois do próximo jogo. Não tenho ideia se, em algum ano, o São Paulo tomou mais de cinco gols. Na Sul-americana, nosso diferencial foi não tomar gol em casa. Queremos conseguir a classificação, de preferência, com vitória", disse, inicialmente, no Morumbi.

"Jogar na altitude, independentemente do adversário, é difícil. Mexe muito com a parte física. Já tive experiência de ir com o Flamengo a Potosí, e sei que mexe. Agora serão 3.600m. Mas nossa comissão técnica está se preparando há muito tempo", acrescentou o treinador.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Ney Franco adotou discurso respeitoso, embora saiba que apenas um milagre lhe tira a vaga
As declarações, na verdade, são para boliviano ver. Ney Franco não quis ser desrespeitoso com o adversário, mesmo ciente de que está muito próximo de se juntar a Atlético-MG, The Strongest (Bolívia) e Arsenal (Argentina) no grupo 3 da competição continental.

Para ser eliminado na fase preliminar, sua equipe teria que perder por seis gols de diferença. Ainda que o Bolívar devolvesse o placar de 5 a 0, o jogo em La Paz iria para os pênaltis.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade