Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Ney Franco exalta Jadson e se diz cansado de falar sobre Ganso

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Ney Franco está cansado. O treinador, que fala em Paulo Henrique Ganso desde antes de sua contratação ser efetivada pela diretoria do São Paulo - na época, admitiu que havia rabiscado uma provável escalação com ele em campo -, não aguenta mais ser perguntado sobre o ex-santista, que iniciou a temporada entre os titulares e passou a ser reserva de Jadson.

"Não adianta ficar discutindo sempre em véspera de jogo, depois de jogo, essas questões de Ganso e Jadson. Em alguns momentos, eles podem jogar juntos. Em outros, posso optar por um deles. Hoje foi o Jadson, não significa que não possa ser o Ganso na sequência", disse, após a vitória por 5 a 0 sobre o Bolívar, nesta quarta-feira.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Jadson ainda tenta ganhar toda a torcida são-paulina. Camisa 10 nunca foi unanimidade
Vitória em que Jadson teve boa atuação, a melhor dentre os são-paulinos, no entendimento de Ney Franco. Isso, a propósito, foi argumento para que ele, ao ser perguntado novamente sobre o porquê de Ganso não estar entre os 11 iniciais, sugerisse outro rumo à entrevista.

"Sei que essa decisão de tirá-lo mexe com todos, torcedor também não entende em alguns momentos. Mas não posso deixar de falar do Jadson. Para mim, foi o melhor em campo. Torcedor tem que começar a prestar um pouco mais de atenção no Jadson. O jogo de hoje é para falar dele. Não posso fazer isso, mas gostaria de falar apenas sobre coisas boas", defendeu.

Jadson deu passe para o primeiro dos cinco gols, anotado por Osvaldo, e ainda balançou a rede no segundo tempo. Ganso entrou na etapa final e teve pouco tempo para mostrar futebol. O estágio físico do camisa 8, segundo a comissão técnica, está abaixo do apresentado pelo concorrente na posição.

Ao menos por ora, é improvável que ambos atuem juntos. Na única vez que isso ocorreu até aqui, o desempenho foi reprovado pelo treinador. Foi por isso que Aloísio assumiu o corredor direito do ataque, deslocando Jadson de volta para a armação no meio-campo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade