Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Ney Franco não usa desculpa da altitude e diz que time "tirou o pé"

La Paz (Bolívia)

A derrota de virada para o Bolívar não foi bem digerida por Ney Franco. O treinador do São Paulo disse que a altitude de 3.600 metros de La Paz não pode ser usada como desculpa pelos quatro gols sofridos a partir dos minutos finais da primeira etapa. Em sua opinião, a culpa foi a falta de concentração de seus jogadores depois de abrir três gols de vantagem.

"O time caiu um pouco na parte física, mas isso não foi o principal. Nossa equipe errou muito tecnicamente. Caiu um pouquinho a concentração no jogo. Em alguns momentos, a gente tirou o pé. Não foi pedido isso, e a gente pagou com a derrota", avaliou, descontente pela apresentação da equipe no segundo tempo.

AFP
Bolivianos conseguiram virada na etapa final
O que garantiu a vaga para o grupo 3 – ao lado de Atlético-MG, The Strongest (Bolívia) e Arsenal (Argentina) – foi o placar agregado de 8 a 4, acumulado graças à goleada de 5 a 0 no jogo de ida, no Morumbi, uma semana atrás.

Nesta quarta-feira, enquanto teve fôlego, o principal destaque são-paulino foi Jadson. O meia deu duas assistências, uma a Luis Fabiano e outra a Osvaldo, e ainda anotou o terceiro gol. Embora tenha ficado em campo durante os 90 minutos, não foi tão participativo no retorno do intervalo.

Classificado, o São Paulo agora se volta ao Campeonato Paulista, pelo qual enfrenta o Santos, no domingo, na Vila Belmiro. O primeiro compromisso pela fase de grupos da Libertadores será apenas em 13 de fevereiro, contra o Atlético-MG, fora de casa.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade