Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Tricolor desiste de “leilão” por Vargas e vê Grêmio perto de chileno

Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

O presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, admitiu na noite desta segunda-feira que o clube não tem mais interesse na contratação do atacante chileno Eduardo Vargas, do Napoli. De acordo com o dirigente, a pedida muito alta fez o tricolor abandonar o “leilão” que a equipe italiana fazia. Juvenal também acredita que o Grêmio seja o destino do atleta, destaque da Copa Sul-americana de 2011.

Depois de aceitar os dois primeiros valores pedidos pelo Napoli, a equipe desistiu diante da imposição de 1,5 milhões de euros (cerca de R$ 4 milhões) por um ano de empréstimo e uma cláusula que permitiria aos italianos exigir o retorno de Vargas a qualquer momento, sem compensação financeira ao clube do Morumbi.

Insatisfeito com o desfecho das conversas para ter o chileno, Juvenal Juvêncio ironizou o modo que os dirigentes do Napoli conduziram a negociação. “O São Paulo não concordou isso. Não vou entrar nesse leilão. Eu achava que brasileiro fizesse leilão, mas somos crianças pequenas perto dos italianos nesse assunto”, alfinetou o presidente, que considerava Vargas o substituto ideal para Lucas, vendido aos paris Saint-Germain, da França.

Durante esta quinta-feira, a imprensa da Itália já havia colocado o atacante no Grêmio. Para Juvenal Juvêncio, o clube gaúcho está muito próximo de fechar a contratação de Vargas. "Acho que vai para o Grêmio, que até mandou um advogado para lá", acrescentou. O mandatário ainda admitiu ser difícil buscar outra opção para reforçar o setor depois do fim das negociações pelo chileno.

Divulgação
A última partida de EduardoVargas pelo Napoli foi em 6 de dezembro, na derrota contra o PSV pela Liga Europa

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade