Tênis/Aberto da Austrália - ( - Atualizado )

Bellucci celebra dupla de ocasião e revela incômodo por vencer amigo

Bruno Ceccon São Paulo (SP)

Em seu melhor resultado na chave de duplas de um Grand Slam, Thomaz Bellucci alcançou as quartas de final do Aberto da Austrália ao lado do francês Benoit Paire. Além de celebrar o sucesso com a parceria formada em cima da hora, o brasileiro revelou um certo desconforto por enfrentar o amigo Bruno Soares ao longo da campanha.

“Nosso jogo encaixou e conseguimos fazer um grande torneio. Eu e o Paire ficamos até surpresos pela campanha e foi muito bom ter chegado até as quartas de final. Fiquei feliz. Na chave de duplas, acho que fui bem em todos os jogos”, afirmou Bellucci.

O tenista pretendia jogar ao lado do compatriota Marcelo Demoliner, mas o ranking do parceiro não era suficiente para entrar na chave, o que motivou sua parceria de última hora com o francês. Na segunda rodada, Bellucci venceu o amigo Bruno Soares e o austríaco Alexander Peya, cabeças de chave número 9.

“Eu não gosto muito de enfrentar o Bruno ou o Marcelo (Melo). Somos muito amigos e jogar contra não é muito legal, mas faz parte. O Bruno está em grande fase, porém nesse dia jogamos um pouco melhor e conseguirmos aproveitar as chances para vencer nos detalhes”, disse Bellucci.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Antes de chegar às quartas na Austrália, Bellucci tinha apenas uma vitória nas duplas de um Grand Slam (EUA-2012)
Na sequência, o brasileiro e Pairet superaram o paquistanês Aisam-Ul-Haq Qureshi e o holandês Jean-Julien Rojer, cabeças de chave número 6. Nas quartas de final, no entanto, a parceria caiu diante dos espanhóis Marc Lopez e Marcel Granollers, atuais campeões do ATP Finals.

A campanha de seu pupilo deixou o técnico Daniel Orsanic satisfeito. Ex-24º colocado do ranking de duplas e dono de oito títulos em parceria, o argentino disputou a semifinal de Roland Garros em 2000 (com o brasileiro Jaime Oncins) e 1997 (com o compatriota Lucas Arnold Ker), mas perdeu dos  australianos Todd Woodbridge e Mark Woodforde nas duas ocasiões.

BELLUCCI APOSTA EM TRI DE DJOKOVIC

Eliminado logo na primeira rodada da chave de simples do Aberto da Austrália, o brasileito Thomaz Bellucci aposta no sérvio Novak Dkovic, que pode ser o primeiro a ganhar o torneio três vezes consecutivas na Era Aberta.

“Acho que vai dar Djokovic. Ele está jogando muito bem, vai ter dois dias de descanso até a final e, na minha opinião, é o favorito para ganhar”, afirmou Bellucci sobre o sérvio que também triunfou em Melbourne no ano de 2008.

Para concretizar a previsão do tenista brasileiro na Austrália, Novak Dkovic terá muito trabalho, já que ele espera na decisão pelo vencedor do confronto entre o suíço Roger Federer o escocês Andy Murray.

“O Daniel tem muita experiência na dupla e me ajuda bastante nisso. Um dos nossos objetivos em 2013 é jogar mais torneios de dupla para treinar coisas que você acaba não exercitando em simples, como devolução e voleio, por exemplo”, explicou Bellucci.

Se surpreendeu na chave de duplas, o brasileiro decepcionou em simples, já que, como cabeça de chave número 29, perdeu logo na estreia do esloveno Blaz Kavcic, 93º do mundo. Ele sentiu a quadra mais rápida que o habitual e relatou dores no ombro, mas reconheceu o desempenho abaixo do esperado.

“Acho que não pintaram a quadra de 2012 para 2013 e, como ela é aberta ao público durante o ano, estava mais desgastada e rápida. Independentemente disso e (das dores) do ombro, não consegui fazer um bom jogo e fiquei bem abaixo do que esperava. Mas (a lesão) já melhorou bastante e estou conseguindo sacar quase normalmente”, declarou Bellucci.

 

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade