Tênis/Aberto da Austrália - ( - Atualizado )

Djokovic elogia Wawrinka, mas admite ainda estar fora do ritmo ideal

Melbourne (Austrália)

Atual campeão do Aberto da Austrália, o sérvio Novak Djokovic quase foi eliminado pelo suíço Stanislas Wawrinka, atual número 17 do mundo. Em partida decidida em 5h, Djoko viu o adversário equilibrar as investidas e criar chances reais de vitória. Após confirmar a dura vitória e a ida às quartas-de-final do primeiro Grand Slam do ano.

Apesar de elogiar a atuação de Wawrinka e considerar a partida uma das mais marcantes de sua carreira, o líder do ranking mundial ressalta que ainda não jogou o seu melhor no Aberto e está longe do ritmo ideal de jogo.

“Foi definitivamente uma das mais longas, interessantes e emocionantes partidas que já joguei em minha carreira. Ele (Wawrinka) teve muitas chances de ser o vencedor: teve um início melhor, muitas chances de quebra no terceiro set. Ele era o mais agressivo em quadra”, exalta Djokovic. “Todo o crédito da atuação é dele, que me fez correr por toda a quadra e nunca repetiu as jogadas. Então estou realmente feliz após essa vitória”, completa.

AFP
Abatido, Wawrinka é consolado por Djokovic após a partida deste domingo: suíço deu trabalho para o número 1 do mundo
Segundo o número um do mundo, Wawrinka merecia chance melhor na competição, apesar de não tê-lo enfrentado em seu melhor momento. “Sinto muito por sua eliminação. Ele mereceu vencer. Mas me sinto feliz por conseguir lutar novamente até o ultimo instante. O fato é que ainda não joguei perto do meu melhor e não me senti bem em quadra, em termos de ritmo e batida na bola”, analisa.

Extremamente abatido após a derrota, Wawrinka ressaltou a decepção após ter jogado o que considera a melhor exibição de sua vida. O suíço, porém, acredita que saiu de quadra mais forte que entrou.

“Acredito que foi, de longe, a melhor partida que já joguei, especialmente por serem cinco sets contra o líder do ranking mundial. Além disso, eu me portei muito bem, sempre tentando achar uma solução para lutar contra meu cansaço e contra a força de Djokovic, e estive muito perto da vitória. Isso me deixa triste, foi uma grande decepção. Mas considero uma derrota mais positiva que negativa”, garante.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade