Tênis/Aberto de São Paulo - ( - Atualizado )

Eliminado em SP, Mello cogita se aposentar no Aberto do Brasil

Bruno Ceccon São Paulo (SP)

Eliminado na segunda rodada do Aberto de São Paulo, o brasileiro Ricardo Mello deve encerrar sua carreira nesta temporada. O tenista de 32 anos ainda não definiu a data exata para se aposentar, mas cogita a possibilidade de marcar a despedida para o Aberto do Brasil, disputado também na capital paulista, a partir do próximo dia 13 de fevereiro.

“Devo me retirar esse ano, sim. Só não sei exatamente quando. Gostaria que fosse em um torneio aqui no Brasil. Então, estou esperando algumas confirmações para decidir”, explicou Mello logo depois de perder do argentino Martin Alund, cabeça de chave número 2 do challenger realizado no Parque Villa-Lobos, na última quarta-feira.

O tenista se inscreveu para disputar o Aberto do Brasil, mas ocupa apenas a 286ª colocação do ranking mundial e, portanto, está longe da classificação. Para garantir presença diretamente na chave principal do torneio realizado no Ginásio do Ibirapuera, único de nível ATP do País, ele precisaria receber um convite da organização.

“Se por acaso eu receber um convite, acho que é uma boa possibilidade (para se aposentar)”, afirmou Mello. O brasileiro não viajará à Oceania, sede do Aberto da Austrália, primeiro Grand Slam da temporada, para treinar e pensar em uma decisão. “Vou ter um tempo agora para resolver direito como vai ser”, completou.

A distribuição de convites causou polêmica na edição de 2012 do Aberto do Brasil, já que pela primeira vez na história do torneio a organização chamou apenas estrangeiros para a chave principal. Devido a uma parceria comercial da Koch Tavares, promotora do evento, o espanhol Javier Martí, então 184º do mundo, entrou ao lado do compatriota Nicolas Almagro e do chileno Fernando Gonzalez.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Aos 32 anos, o brasileiro Ricardo Mello estuda o momento para encerrar a carreira de tenista profissional
Ricardo Mello viveu alguns dos melhores momentos de sua carreira no ATP brasileiro, antes disputado na Costa do Sauípe. Na temporada de 2005, ele foi parado apenas pelo espanhol Rafael Nadal, na semifinal. O tenista se aproximou da decisão também nas edições de 2010 (perdeu do espanhol Juan Carlos Ferreiro) e 2011 (perdeu do ucraniano Alexandr Dolgopolov).

Então com 15 anos, Mello estreou profissionalmente justamente diante de Gustavo Kuerten, em um challenger disputado em Campinas, sua cidade natal, em 1996. O tenista alcançou a 50ª posição do ranking mundial em julho de 2005 – apenas 10 brasileiros foram mais longe – e conquistou Delray Beach-2004, repetindo outros seis compatriotas que também ganharam eventos da ATP.

Sexto colocado no ranking histórico de premiação entre os brasileiros, o jogador acumula oito vitórias e sete derrotas na Copa Davis. Após encerrar a carreira, ele pretende se dedicar à academia de ginástia que mantém em Campinas e ao Instituto Ricardo Mello, através do qual planeja usar as leis de incentivo governamentais para seguir em projetos ligados ao tênis.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade