Tênis/Aberto de São Paulo - ( )

Favorito em SP, Zeballos evita criticar Del Potro e sonha com Davis

Bruno Ceccon São Paulo (SP)

Principal favorito ao título do Aberto de São Paulo, Horácio Zeballos sonha voltar à Copa Davis em 2013. O tenista, melhor representante da Argentina no ranking mundial de duplas, ainda evitou criticar o compatriota Juan Martin Del Potro, que decidiu abdicar do torneio por nações para priorizar o próprio calendário.

“Eu jogaria a Copa Davis em qualquer situação, mas cada um tem sua opinião. É uma decisão pessoal e ele resolveu priorizar a própria temporada, como já fizeram antes Roger Federer e Rafael Nadal. Não me parece que esteja tão errado assim”, declarou Zeballos, um dos sete pré-selecionados pelo capitão Martin Jaite para enfrentar a Alemanha.

A postura de Del Potro, atual sétimo colocado no ranking mundial, contrasta com a de David Nalbandian. Dono do 82º lugar na lista da ATP, ele decidiu ficar fora do Aberto da Austrália, primeiro Grand Slam da temporada, para treinar no saibro visando a Copa Davis.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Atual 85º colocado no ranking mundial de simples, Horácio Zeballos entrou no Aberto de São Paulo como cabeça 1
Único país com quatro vice-campeonatos (1981, 2006, 2008 e 2011) e sem títulos no torneio, a Argentina estreia em 2013 diante da Alemanha, a partir do dia 1º de fevereiro, em Buenos Aires. Ainda que evite criticar Del Potro, Zeballos admite que se trata de um desfalque significativo.

ZEBALLOS QUER MANTER EMBALO 

Cabeça de chave número 1 no Aberto de São Paulo, o argentino Horácio Zeballos quer manter o embalo após vencer os challengers de São Leopoldo e Montevidéu de forma consecutiva no final do ano passado.

“Esses dois títulos me ajudam a entrar em torneios maiores no começo de 2013 e também em termos de confiança, porque sinto que estou jogando bem. Mas aqui em São Paulo há outros tenistas de bom nível e vai ser uma semana difícil”, declarou.

Nesta quinta-feira, Zeballos se classificou para as quartas de final ao vencer o brasileiro André Ghem. Na próxima rodada, ele encara o compatriota Guido Andreozzi, que passou pelo croata Franco Skugor.

“Ele é uma peça fundamental e lamentavelmente não vai jogar, o que faz com que a série fique mais difícil. Vai ser um confronto muito complicado, porque a Alemanha tem grandes jogadores e vai trazer os melhores. O bom é que a Argentina joga em casa e isso pode fazer a diferença”, disse.

Horácio Zeballos atualmente ocupa a 63ª colocação no ranking mundial de duplas da ATP. Convocado pelo capitão Martin Jaite nas últimas quatro séries, Eduardo Schwank, lesionado, está fora do confronto com a Alemanha, o que aumenta as chances do favorito ao título do Aberto de São Paulo.

“Se o capitão decidir que é uma boa opção, vou participar. Sempre é lindo defender o seu país na Copa Davis e seria lindo voltar. O importante é que a Argentina tenha a equipe mais forte possível. Se o técnico achar que posso fazer parte, seria muito bom”, disse Zeballos.

Chamado pelo então capitão Tito Vazquez para as três séries de 2010, quando a Argentina perdeu da França na semifinal, ele minimiza o status de melhor duplista de seu país na lista da ATP. “O ranking é apenas um número e o treinador é quem decide quem está jogando melhor”, declarou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade