Futebol/Amistoso - ( - Atualizado )

Ao se despedir, Pedrinho diz: "Vou guardar isso pelo resto da vida"

Rio de Janeiro (SP)

Com a camisa do Vasco, Pedrinho se despediu do futebol na tarde deste domingo, em amistoso de homenagem a ele, contra o Ajax. Diante de quase dez mil torcedores em São Januário, seu local de trabalho na maior parte da carreira, o ex-meia de 35 anos se disse emocionado.

"É uma emoção indescritível. Tenho amor por esse clube, ao qual cheguei pequeno. Quero agradecer à presença dos meus amigos, da minha família, dos meus ex-companheiros e dos atletas. Também à presidência do clube pela homenagem e, do fundo do meu coração, à torcida vascaína", disse.

Demonstrando bom preparo após ter voltado a treinar nos últimos dias, ele iniciou a partida como titular, disputou os 45 minutos iniciais sem problemas e até voltou depois do intervalo, deixando o campo somente aos 16 minutos da etapa complementar, mas voltando no fim, no lugar de Fillipe Soutto, para sacramentar a despedida.

A última partida oficial de Pedrinho foi em abril de 2012, na disputa do Campeonato Carioca, pelo Olaria. Apesar dos pedidos, ele desistiu de continuar jogando em função do acúmulo de lesões ao longo da carreira, ciente de que talvez não tivesse totais condições físicas.

"Eu gostaria de dar muito para o Vasco, mas infelizmente...", lamentou, em entrevista ao Sportv. "Meu pai trabalhou aqui. Cheguei com a idade do meu filho. Passei por todas as categorias do futebol de salão. É inesquecível, vou guardar para o resto da minha vida", completou.

À torcida vascaína, restou ver um único gol - de Wendel, aos 15 minutos - e se encantar pela última vez com um toque de letra ou um chapéu de Pedrinho, campeão de Copa Libertadores (1998), Campeonato Brasileiro (97 e 2000), Mercosul (2000), Rio-São Paulo (99) e Carioca (98).

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade