Vôlei/Superliga feminina - ( - Atualizado )

Unilever bate Sollys/Nestlé e fecha turno da Superliga na liderança

Rio de Janeiro (RJ)

Nesta sexta-feira, o maior clássico brasileiro do vôlei feminino na atualidade foi disputado no ginásio Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. Finalistas das últimas oito edições da Superliga feminina, Unilever e Sollys/Nestlé, de Osasco (SP), duelaram na Cidade Maravilhosa e, no reencontro dos dois times rivais, melhor para as donas da casa que venceram pelo placar de 3 sets a 2, com parciais de 18/25, 25/21, 25/23, 14/25 e 15/8.

Com o resultado, a Unilever soma mais dois pontos, por conta da vitória por 3 a 2, e chega a 22 (oito vitórias e uma derrota), assumindo a liderança isolada da Superliga feminina, já que ultrapassa o rival desta noite. Já o Sollys/Nestlé leva um ponto para casa (sete vitórias e duas derrotas), e cai da ponta para a terceira colocação. Quem se beneficiou do resultado foi o Banana Boat/Praia Clube, que bateu em casa, também nesta sexta, o Rio do Sul, por 3 sets a 1 (25/17, 23/25, 25/15, 25/22), e assumiu a vice-liderança do torneio.

A maior pontuadora do Unilever foi Sarah Pavan, que saiu de quadra com 22 pontos em sua conta. Porém, quem mais rendeu ofensivamente na partida veio do outro lado: Fernanda Garay, do Sollys/Nestlé, que terminou o confronto com 24 pontos. Entrentanto, a levantadora Fofão, do Unilever, saiu de quadra com o troféu VivaVôlei, destinado ao melhor do duelo.

"Eu estou muito feliz, não só pelo resultado, mas pelo jogo em si. É minha primeira vez disputando esse confronto, que é um jogo muito pesado, que exige concentração o tempo todo, mas o resultado foi merecido", disse Fofão, em entrevista ao Sportv, depois da partida.

Logo no primeiro set, as comandadas do técnico Luizomar de Moura mostraram que não foram até o Maracanãzinho dispostas a dar a liderança de graça para as rivais da Unilever e fecharam a primeira parcial com 25/18.

No segundo período, a Unilever acordou para o jogo e reagiu, fechando a parcial com 25/21 e evitando que as rivais paulistas ficassem a um set de triunfar em pleno Maracanãzinho.

Com a partida empatada, a Unilever mostrou um maior equilíbrio emocional no confronto e, se aproveitando dos erros do oponente, muito por conta da pressão de jogar fora de casa, fecharam o set com 25/23 e assumiram a liderança do marcador.

Mas o Sollys/Nestlé não estava para brincadeira e voltou com vontade para o quarto set. Completamente superior na parcial, o time paulista não deu nenhuma chance para a Unilever fechar o jogo e empatou a partida, fechando o set com 15/8.

Também nesta sexta-feira, o Vôlei Amil, de Campinas (SP), se manteve na briga pelas primeiras posições na tabela ao derrotar o Usiminas/Minas, fora de casa, pelo placar de 3 sets a 0, com parciais de 25/20, 25/20 e 25/22. A maior pontuadora do confronto disputado na Arena Vivo, em Belo Horizonte, foi Daymi Echeverria, do Vôlei Amil, que fechou o duelo com 19 pontos na conta.

Com o resultado, o Vôlei Amil chega a 20 pontos e fica somente um ponto e uma posição atrás do Sollys/Nestlé, na quarta colocação.

Alexandre Arruda/CBV
Jogando diante da sua torcida, no Maracanãzinho, a Unilever não teve vida fácil contra o rival Sollys/Nestlé, mas saiu com a vitória e a liderança do turno da Superliga feminina
Confira os resultados da nona rodada do turno da Superliga feminina:

Unilever 3 x 2 Sollys/Nestlé (parciais de 18/25, 25/21, 25/23, 14/25 e 15/8)
São Cristovão Saúde/São Caetano 0 x 3 Sesi-SP (parciais de 10/25, 15/25 e 13/15)
São Bernardo Vôlei 0 x 3 Pinheiros (parciais de 7/25, 19/25 e 20/25)
Banana Boat/Praia Clube 3 x 1 Rio do Sul (parciais de 25/17, 23/25, 25/15 e 25/22)
Usiminas/Minas 0 x 3 Vôlei Amil (parciais de 20/25, 20/25 e 23/25)

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade