Atletismo/Bastidores - ( - Atualizado )

Com julgamento adiado para terça-feira, Pistorius segue na prisão

Joanesburgo (África do Sul)

Acusado de assassinar sua namorada, a modelo Reeva Steenkamp, Oscar Pistorius passou por um julgamento na manhã desta sexta-feira. Nele, a Justiça de Pretória, na África do Sul, não aceitou o pedido de fiança feito pelo seu advogado e o atleta terá que permanecer na prisão até terça-feira, data marcada para o próximo julgamento.

Pistorius já passou a noite desta quinta-feira atrás das grades e a decisão de mantê-lo na delegacia do Brooklyn até a próxima semana foi do juiz Desmond Nair, que aceita que a defesa analise melhor as provas da investigação.

AFP
Pistorius chora ao ouvir acusação de assassinato premeditado no Tribunal de Justiça de Pretória
Embora todo o áudio da sessão tenha sido gravado, os jornalistas e fotógrafos que acompanhavam o julgamento tiveram que se retirar do local. A ordem de saída dos profissionais foi dada pelo juiz, à pedido do advogado do sul-africano, que alegou que seu cliente estava em “estado extremo de nervosismo".

Desde que saiu da delegacia até a chegada ao julgamento, Pistorius cobriu o rosto com parte da roupa. Na sessão, permaneceu com a cabeça abaixada na primeira fileira do tribunal durante grande parte do tempo e chorou em diversos momentos.

Enquanto a defesa tentará conseguir que o atleta seja liberado mediante pagamento de fiança, os promotores Gerrie Nel e Andrea Johnson declararam que o Estado é contra a medida. A pistola 9mm, arma do crime que está registrada no nome do atleta, também foi apresentada no julgamento.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade