Atletismo/Bastidores - ( - Atualizado )

Pistorius se reúne com autoridades para negociar retorno aos treinos

Pretória (África do Sul)

Em liberdade condicional desde a última sexta-feira, quando pagou a fiança estipulada em 1 milhão de rands (aproximadamente R$ 222,2 mil), o velocista paralímpico Oscar Pistorius deseja voltar aos treinamentos no período em que segue sendo julgado pelo assassinato da namorada Reeva Steekamp, no último dia 14. Para isso, o sul-africano reuniu-se com as autoridades de seu país a fim de negociar a liberação para as atividades.

Pistorius, no entanto, não estaria planejando retornar a competições e mantém o foco no julgamento. Os treinamentos serviriam para impedir que o atleta saia de forma durante o período em que está em condicional, além de servir como calmante para os momentos conturbados que tem passado desde o crime.

“Absolutamente não (planeja voltar a competir). Ele está atualmente em luto e o seu foco não está nos esportes”, garante o porta-voz do para-atleta.

AFP
Após negociações, Pistorius deve ser liberado por autoridades para voltar aos treinamentos
Vice-comissário chefe do departamento de serviços penitenciários de Pretória, na África do Sul, James Smalberger confirma o contato de Pistorius para negociar o retorno aos treinos.

“Seu desejo é voltar a treinar. Nós queremos uma programação de seu treinador para podermos monitorar seus movimentos. Ele não está em prisão domiciliar, mas precisamos saber onde ele está. Concordamos em dar um tempo livre durante o dia, assim como esperamos que ele esteja em casa à noite”, afirma Smalberger, em entrevista à agência AP.

Acusado de premeditar o assassinato da namorada, a modelo sul-africana Reeva Steekamp, Pistorius ficou preso entre os dias 14 e 22. Na última sexta, sua defesa chegou a um acordo com a promotoria de Pretória e pagou a fiança do atleta, que garante ter disparado contra a amada por ter a confundido com um ladrão.

Em liberdade, Pistorius será acompanhado por dois profissionais escolhidos pela Justiça até o final do julgamento. Ele deverá informar todos os lugares que deseja ir, deve pedir permissão para viajar para fora de Pretória, além de estar disponível a todo o momento por telefone, não poder usar drogas e álcool, não retornar à sua casa e nem falar com vizinhos. Além disso, deve entregar seus passaportes e armas e está proibido de conversar com testemunhas. O próximo julgamento está marcado para o dia 4 de junho.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade