Atletismo/Bastidores - ( )

Rival de Pistorius, Alan Fonteles evita falar de “caso de polícia”

Lucas Besseler, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Acusado de matar a namorada Reeva Steekamp na última quinta-feira, Oscar Pistorius tornou-se vilão para grande parte dos fãs de esporte de todo o mundo. Para os brasileiros, porém, o velocista sul-africano já era visto com outros olhos por conta de polêmica com o representante nacional nos Jogos Paralímpicos de Londres-2012, Alan Fonteles.

Algoz de Pistorius na prova dos 100m rasos T44 , quando superou o favoritismo do sul-africano e ficou com a medalha de ouro, Fonteles foi acusado pelo Blade Runner de usar modelos de próteses maiores que no ano anterior, o que teria melhorado o seu desempenho.

Procurado pela Gazeta Esportiva.Net para comentar a situação vivida pelo rival, o brasileiro desconversou e preferiu não se pronunciar. “Eu não posso falar sobre o assunto. Isso é caso de polícia e eu prefiro deixar para ela resolver antes de comentar alguma coisa”, esquivou-se.

AFP
Fonteles superou Pistorius nos Jogos Paralímpicos de Londres-2012 e foi criticado pela lenda sul-africana
Assim como Pistorius, Fonteles se envolveu em imbróglio com a justiça em dezembro de 2012. Na ocasião, o medalhista paralímpico sofreu acidente de carro na cidade de Ananindeu, no Pará, causando ferimentos a três pessoas que estavam em seu veículo, uma delas em estado grave.

Acusado de estar embriagado, o velocista se defendeu admitindo ter bebido um copo de whisky, mas não estar alterado pela quantidade de álcool ingerida. Seu rival, Pistorius, afirma ter atirado quatro vezes na namorada após confundi-la com um ladrão.

Com 0,22mg de álcool em seu sangue, Fonteles foi autuado por infração de trânsito e não perdeu a sua carteira de motorista, apenas pagando uma multa de trânsito, confirmando a sua versão. Pistorius, por sua vez, será julgado em tribunal às 4h (de Brasília) desta terça-feira.

A expectativa é que a versão da lenda não seja aceita pelas autoridades de seu país, que trabalham com a hipótese de crime premeditado. Após perícia na casa do atleta, onde foram disparados os quatro tiros contra Reeva, a polícia encontrou um taco de críquete ensanguentado, esteroides e álcool, combinação de substâncias que torna quem as ingere mais agressivo.

AFP
Na sexta-feira, Pistorius chorou ao ouvir a acusação oficial de assassinato da namorada Reeva Steekamp

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade