Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Ainda sonhando jogar no Palmeiras, Jóbson recomenda selva a Leão

São Caetano do Sul (SP)

Reserva acionado pelo São Caetano no empate contra o Oeste e na derrota diante do Linense, pelo Campeonato Paulista, Jóbson quer aproveitar o ano de 2013 para provar que “ainda está vivo” para o futebol. Se dentro de campo o atacante de 24 anos tenta retomar os bons momentos que viveu com a camisa do Botafogo, em 2009, fora dele a postura segue a mesma: polêmica.

Em entrevista à TV Record, o ex-botafoguense relembrou o antigo sonho de vestir a camisa do Palmeiras, clube que já teve a oportunidade de contratá-lo duas vezes, mas interrompeu as negociações antes da assinatura do contrato de empréstimo, e respondeu às críticas do técnico Emerson Leão. Durante participação em uma mesa redonda esportiva, o ex-técnico do São Paulo disse que não daria uma oportunidade a Jóbson.

“Muitos não acreditam em mim. O Leão, por exemplo, falou uma bobeira, mas nem me conhece e nunca me treinou para falar isso. Mas leão é na selva, e eu quero é calar a boca de gente que me critica”, rebateu Jóbson, disposto a esquecer o passado de envolvimento com drogas e indisciplina: “Quero estar bem, mostrar para todo o Brasil que estou vivo. Quem vai mudar isso sou eu, então prometo gols no São Caetano”.

Sobre o Palmeiras, Jóbson garante que ainda não desistiu do sonho, mesmo depois de não dar certo no Botafogo (foram quatro passagens alternadas), Atlético-MG, Bahia e Grêmio-SP antes de chegar ao Azulão para uma ‘nova chance’. “Não morreu. Quem sabe um dia, só depende de mim fazer um bom trabalho, jogar bem e passar confiança”, diz o jogador, lembrando que nunca foi viciado em nenhuma substância química. “Fui viciado em mulher, porque gosto muito, mas tomei juízo”.

Gazeta Press
Jóbson chamou presidente do Grêmio-SP, seu ex-clube, de "brincalhão", mas diz que polêmica está para trás

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade