Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Confiante, Wellington ‘entrega’ time e prega respeito ao Atlético-MG

São Paulo (SP)

O mistério sobre a escalação do São Paulo para enfrentar o Atlético-MG nesta quarta-feira durou pouco. Depois do treino fechado no CT da Barra Funda, o volante Wellington foi descansado para a entrevista coletiva após “dormir bastante no Carnaval” e acabou com as dúvidas sobre os 11 titulares que iniciarão a partida em Belo Horizonte.

Com autorização da assessoria de imprensa do clube, o meio campista confirmou a formação do Tricolor com Rogério Ceni; Paulo Miranda, Lúcio, Rhodolfo e Bruno Cortez; Wellington, Denílson e Jadson; Douglas, Luís Fabiano e Osvaldo. Os motivos que levaram Ney Franco a fechar o treino nesta segunda-feira, no entanto, seguem guardados a sete chaves.

“Todos que tiverem que entrar vão defender o São Paulo para fazer o melhor. O time é o mesmo, com Douglas no meio de campo. Agora me compliquei (risos). Foi o Felipe (Espíndola, assessor) que deixou. Hoje fizemos um trabalho bom, sério e forte. Surpresa não sei se vai ter. Isso é melhor perguntar para o Ney franco”, revelou o volante com muito bom humor.

Diferentemente do treinador, que no último final de semana comemorou o fato de o Tricolor já estar a mais tempo jogando na temporada e com dois jogos na Copa Libertadores da América, Wellington negou que o time do Morumbi tenha vantagem sobre o Galo. Os mineiros jogaram apenas duas vezes no ano e farão a estreia na competição internacional depois de 13 anos de ausência.

“É 11 contra 11. Isso fica fora de campo. Não temos vantagem de estar na competição há mais tempo. Isso tem que ficar de lado”, ressaltou o camisa 5, que se mostrou preocupado com o forte elenco comandado por Cuca: ‘Temos que nos preocupar com todos os jogadores, o Ronaldinho Gaúcho é diferente, tem o Bernard, volantes bons, zagueiros de Seleção. Não é só o Gaúcho ou o Diego Tardelli, tem o time todo.”

Se a torcida são-paulina já possuía uma relação íntima com a Libertadores, os títulos dos rivais Santos e Corinthians nos últimos anos despertaram novamente a vontade pela conquista da quarta taça. E para voltar a ser o time brasileiro mais vitorioso da competição, o volante promete não poupar esforços.

“Também queremos ser campeões e chegar no Mundial. Só de estar no São Paulo você já tem responsabilidade, tem que buscar títulos de todas as competições. A pressão do torcedor é normal, eles querem que a gente ganhe tudo. E eu como torcedor também quero, por isso dou meu máximo todo jogo para conquistar as vitórias. Temos que crescer a cada dia. O melhor ainda está por vir. E espero que comece nesta quarta-feira.”, afirmou o companheiro de Denílson na marcação.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade