Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Dia no Vasco tem derrota de reservas e incêndio em veículo do clube

Rio de Janeiro (RJ)

Um dos reforços contratados pela diretoria, o lateral esquerdo Yoshimar Yotún ainda não fez sua estreia pelo Vasco da Gama. O peruano chegou ao clube há um mês e aguarda pela regularização de alguns documentos antes de entrar em campo. A previsão da comissão técnica é que o defensor esteja à disposição no início da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca.

Nesta terça-feira, o jornal peruano El Comerciodivulgou uma entrevista de Yotún, que se mostrou ansioso para defender a equipe brasileira para seguir ganhando espaço na seleção de seu país. E para ganhar moral com a torcida vascaína, colocou o clube como o melhor do continente.

“Estou muito animado, porque sinto que vim para o maior clube da América do Sul. Pelo menos eu gostaria de jogar o Campeonato Carioca desde o segundo turno. Não há nenhum problema, então só estou esperando resolver este processo, porque estou morrendo de vontade de jogar aqui”, destacou um dos destaques do futebol peruano nos últimos anos.

Apesar da felicidade por atuar no Brasil, Yotún ainda sofre para se adaptar ao Rio de Janeiro e conta com a ajuda do equatoriano Carlos Tenório para se ambientar o mais rápido possível: “A coisa mais difícil para é a questão da língua. No começo não entendia português. Estou em processo de aprendizagem e meus companheiros também me ajudam. Eu peço que falem devagar, senão entendo nada.”

Marcelo Sadio/vasco.com.br
René Simões e diretoria correm para regularizar situação do lateral esquerdo peruano Yoshimar Yotún
Susto na capital - Enquanto a equipe titular do Vasco, que venceu o Audax no final de semana, treinou leve na manhã desta terça-feira, os reservas foram derrotados em jogo-treino contra a Portuguesa-RJ por 1 a 0. O foco das atenções, no entanto, ficou no incêndio que atingiu um dos veículos do clube na Linha Vermelha.

Uma Kombi branca atravessava a via expressa que liga a Zona Norte à Zona Sul do Rio de Janeiro com dois ocupantes em direção à sede náutica vascaína. Os funcionários do clube repararam em uma fumaça e conseguiram deixar o veículo, que em pouco tempo foi tomado pelo fogo.

Com o incidente ocorrido ainda antes dos treinamentos na Colina, a diretoria do Vasco já começa a calcular os prejuízos. A Kombi, que não era utilizada pelo futebol profissional, teve perda total e deixa o clube com apenas um veículo à disposição. Três já estavam passando por reparos, deixando as categorias de base com o único carro disponível.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade