Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Muricy ameniza críticas de Pelé a Neymar e cita experiência do Rei

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

As críticas de Pelé, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, direcionadas ao atacante Neymar, seguem repercutindo no Santos. Desta vez, o técnico Muricy Ramalho analisou as declarações do Rei, que dentre outros pontos, destacou que a Joia precisa se “preocupar mais com o time do que com a mídia” e criticou as exibições do camisa 11 do Peixe na Seleção Brasileira, apesar de admitir que há uma carga muito forte de responsabilidade sobre Neymar.

Para o treinador santista, Pelé, pela trajetória construída no futebol, tem direito a opinar sobre o atacante ou qualquer outro jogador. “Acho que temos de saber de onde veio essa crítica. Quem falou foi o Pelé, o Atleta do Século XX. Ele tem um histórico muito grande, tanto no Santos quanto mundialmente falando. Pela experiência que ele tem, ele pode falar coisas que podem fazer qualquer um crescer”, disse Muricy, em sua entrevista coletiva após o treino da manhã deste sábado, no CT Rei Pelé.

Sem criar polêmica com o Rei do Futebol, o comandante alvinegro, em tom diferente do utilizado por Pelé na entrevista, destacou que Neymar ainda precisa corrigir alguns defeitos para ajudar ainda mais a equipe dentro de campo.

“O Neymar está fazendo coisas diferentes há muito tempo. Ele já fez o gol mais bonito do ano, dentre outras coisas, estão como vou falar para ele não fazer aquilo? Tenho que deixá-lo fazer, criar. O que eu mais me preocupo e já falei isso para ele, foi que o Neymar precisa melhorar no setor de transição, do meio para frente. Ele tenta o drible ali, sempre fez isso desde pequeno. Ele tem esse defeito, é muito desarmado ali. Na transição ele tem que armar a jogada, simplificar a jogada. Corrigindo o passe nesse setor, ele vai melhorar a maneira dele jogar”, ponderou.

Já sobre as críticas de Pelé sobre o farto de a Joia cobrar faltas e escanteios no time, Muricy Ramalho demonstrou pensamento oposto ao do Rei. “A gente não tinha um grande batedor até outro dia. Agora chegou o Marcos Assunção, é diferente. Quando ele está em campo, o Neymar não cobra falta. Os escanteios ficam com ele porque o Neymar bate bem na bola e, além disso, não é um grande cabeceador, para ficar na grande área esperando o cruzamento”, explicou.

Mesmo com o tom incisivo das declarações de Pelé,o treinador fez um balanço positivo das críticas do Rei. “É bom que pessoas como o Pelé façam isso. É algo normal vindo dele, recebemos como uma boa crítica. Não se pode encarar tudo como crítica negativa, não é isso. Até porque, o Pelé não tem esse tipo de interesse. É natural o Pelé dar conselhos, ainda mais pelo atleta que ele foi. O Neymar está sendo preparado para ser o melhor jogador do mundo”, finalizou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade