Futebol/Copa do Mundo 2014 - ( )

Valcke critica pessimismo para a Copa e põe Castelão como exemplo

Zurique (Suíça)

Depois de encerrar sua primeira visita ao Brasil participando da inauguração do estádio Castelão, em Fortaleza, e de vistorias no Maracanã e na Arena Fonte Nova, Jérôme Valcke retornou à sede da Fifa, na Suíça, com boas impressões. Apesar de enaltecer o trabalho do Brasil para entregar os estádios da Copa de 2014 até abril deste ano, o secretário geral da entidade acompanhou o discurso de Ronaldo, criticando a ‘onda de pessimismo’ que persiste no País.

Utilizando a Arena Castelão como exemplo para os outros estádios perto de serem entregues, como o Mineirão, em Belo Horizonte, Valcke publicou uma carta aberta aos “amigos de futebol”, cobrando agilidade na conclusão das obras. Segundo o dirigente da Fifa, até mesmo os problemas detectados em Fortaleza são positivos, já que existe tempo para que sejam corrigidos.

“As partidas de inauguração do estádio de Fortaleza mostraram claramente porque é tão importante que os palcos da competição sejam testados antes do Festival dos Campeões. Afinal, somente em situações reais é possível identificar os problemas e resolvê-los. Fortaleza fez um ótimo trabalho e deu um exemplo para todas as outras cidades”, relatou Valcke, lamentando não poder assistir o clássico entre Cruzeiro e Atlético-MG, na inauguração do Mineirão.

Além dos elogios à agilidade para a entrega do Castelão, Valcke escreveu uma “observação final” em sua carta aberta, mostrando ser contra a postura cautelosa de setores da sociedade quanto à viabilidade da realização da Copa do Mundo: “Algumas poucas pessoas continuam a enxergar apenas aspectos negativos, mesmo que não haja nada de negativo. Como tudo na vida, porém, você pode ver o copo meio cheio ou meio vazio. Aqueles que o enxergam meio vazio correm grande risco de perder o momento quando o copo estiver finalmente cheio”.

AFP
Valcke participou de eventos ao lado de Ronaldo e ambos concordaram na crítica ao pessimismo contra a Copa
Confira trechos da carta aberta do secretário geral da Fifa:

Prezados amigos do futebol,
A minha primeira viagem ao Brasil este ano foi marcada por fortes emoções. Uma dicotomia de sentimentos que me levou do profundo pesar pela tragédia em Santa Maria a uma grande confiança por termos visto não apenas estádios ganhando forma, mas planos operacionais concretos para receber bem os torcedores e autoridades durante os jogos. Para completar, tivemos o lançamento do cartaz oficial do torneio, uma belíssima peça de arte abstrata, em evento que contou com a presença de alguns dos maiores jogadores de futebol que o Brasil já revelou ao mundo, o time de craques dos embaixadores da Copa do Mundo da FIFA 2014.

Esta semana também marcou a contagem regressiva de 500 dias para o pontapé inicial da Copa do Mundo da FIFA 2014. Pode parecer muito tempo, mas, para um evento de tamanha magnitude, cada dia é importante. É impressionante ver os estádios tomando forma e mudando a cara das instalações de futebol do Brasil, um legado que permanecerá quando a competição terminar. Se hoje o Brasil já é respeitado pela qualidade dos seus jogadores, a organização da Copa do Mundo da FIFA colocará o país em um seleto clube, com 12 arenas de alto padrão novas ou totalmente reformadas.

Acredito que estamos caminhando juntos no ritmo certo, graças à nossa bem-sucedida parceria com o governo e as cidades-sede. Estou convencido de que, por meio deste trabalho coletivo, realizaremos a edição brasileira da Copa do Mundo da FIFA acima das expectativas do mundo da bola. Afinal, a Copa do Mundo da FIFA está finalmente retornando ao país do futebol.

Jérôme Valcke

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade