Futebol/Campeonato Carioca - ( - Atualizado )

Após falar com Verdão, Márcio Azevedo se diz focado no Botafogo

Rio de Janeiro (RJ)

Márcio Azevedo passou boa parte do primeiro mês de 2013 negociando com o Palmeiras. Mas Paulo Nobre assumiu a presidência no dia 21 e se recusou a manter quase todas as conversas que seu antecessor, Arnaldo Tirone, iniciou. O lateral esquerdo, então, se manifestou através do site oficial do Botafogo dizendo estar focado na equipe.

“Terminei o ano passado bem e acho que o interesse de outros clubes é um reconhecimento do trabalho, mas minha cabeça está no Botafogo”, assegurou o jogador, que completará 26 anos na terça-feira e tem contrato com o clube alvinegro até o final da próxima temporada.

“Felizmente, estou dando conta do recado e ajudando meus companheiros a conseguir os resultados. Penso em ser campeão este ano. Se Deus quiser, vamos conseguir coisas boas”, prosseguiu o lateral, que chegou a General Severiano no começo de 2011.

O ano passado foi complicado para Márcio Azevedo. Chamou atenção ao chorar no fim de uma vitória sobre o Coritiba por ter jogado mal e, em um treinamento, foi quem mais ouviu broncas e orientações do meia Seedorf.

Seus representantes gostaram do interesse do Palmeiras, que, ainda sob a gestão de Tirone, aceitaria pagar um salário maior e até desembolsar uma quantia ao Botafogo para contar com o lateral, pedido por Gilson Kleina. Qualquer negociação até o último dia 21, porém, precisava da aprovação do Conselho de Orientação e Fiscalização (COF) do clube. A esperança era que Nobre mantivesse as conversas, o que não ocorreu.

Assim, Márcio Azevedo, atleta que mais entrou em campo pelo Botafogo no ano passado (59 jogos), segue na equipe carioca disputando posição com Júlio César e Lima – no Verdão, a concorrência seria com Juninho, contestado em meio ao rebaixamento palmeirense no Brasileiro de 2012.

“Penso sempre em dar o melhor. Quanto mais você joga, melhor fica técnica e fisicamente. Se der, com certeza vou jogar o máximo de partidas. Com a confiança de companheiros, técnico e torcida, fica mais fácil. Vou aprendendo a cada ano. O Oswaldo (de Oliveira, técnico) me deu oportunidade, estou conseguindo mostrar meu futebol”, disse Márcio Azevedo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade