Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Mazola reclama de arbitragem e vê Paulistão “de apenas quatro times”

Bragança Paulista (SP)

Marcado dois minutos além do tempo estipulado de acréscimo, o gol de pênalti do peruano Paolo Guerrero determinou o empate do Corinthians, neste domingo, por 2 a 2, diante do Bragantino. Autor de um dos gols do time de Bragança Paulista, o ala Léo Jaime criticou a arbitragem de Leandro Bizzio Marinho e teve o discurso acompanhado pelo técnico Mazola Júnior, que ainda foi mais longe na argumentação.

Segundo o comandante do time do interior, toda a jogada do segundo gol do Timão foi conduzida de maneira equivocada pela arbitragem: o escanteio que resultou em mão na bola dentro da área teria nascido de uma falta invertida marcada contra o Bragantino. Assim, o córner se originou de um lance em que a partida, na verdade, já deveria ter sido encerrada. Segundo o treinador, trata-se de um esquema de favorecimento aos grandes.

“O tempo se esgotou e o árbitro tinha que acabar o jogo ali. O pênalti foi justo, mas aquele escanteio não deveria ter sido cobrado. A verdade é que algo tem que ser feito. Não é só o Bragantino que é prejudicado. Enquanto nenhuma providência for tomada, vai ser um campeonato de apenas quatro times”, apontou Mazola Júnior à rádio bragantina 102 FM. O discurso do técnico faz referência aos grandes Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo.

Duro nas críticas, Mazola já começa a ter seu trabalho contestado no Braga – com 13 pontos, a equipe está no 11º lugar do Campeonato Paulista, mas a apenas um ponto do Corinthians, que abre a zona de classificação para as quartas de final. No próximo sábado, novamente no estádio Nabi Abi Chedid, o time não contará com Raphael Andrade e Neto, suspensos.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Após a partida em Bragança, Mazola Júnior sugeriu a existência de um 'esquema' para privilegiar os grandes

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade